quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Retomando minha atividade intelectual...

Rio de Janeiro, 06/01/2010.



Que sensação maravilhosa é esta que toma conta do meu corpo e da minha mente. É o meu renascimento psico-físico. Minha mente volta a borbulhar; cheio de idéias perco-me em pensamentos dos mais variados. Reencontrei o caminho, agora é uma questão de tempo até que os insigths tornem-se freqüentes novamente.


Outrora, quando a mesma sensação que agora sinto fazia parte do meu dia a dia, eu produzi conhecimento, profundas reflexões, e cresci intelectualmente, cresci exacerbadamente. Foi a minha melhor época até o presente momento. Espero que esta nova etapa seja melhor, do que aquela que no passado me trouxe tamanha alegria e satisfação.


Para ser sincero, e sem falsa modéstia, acredito sinceramente que minha alma agora está melhor provida de nutrientes. Meu período de latência me fez ruminar tantas coisas; descartei muito lixo e adquiri novas ferramentas. Sinto que estou mais forte. Sinto meu coração palpitar, sinto minha respiração descompassada; tudo isso foge ao meu controle. Meu corpo esta respondendo, é psicossomático! Minhas funções metabólicas, com minha fisiologia e sanidade, encontram-se envoltas, novamente, dentro dos limites da expansão livre do saber.


Que sensação maravilhosa!


Mas preciso ter cuidado, muito cuidado. Lembro-me que estive à beira da loucura. Minha salvação foi escolher mudar de rumo e abandonar completamente o passado. Uma escolha radical, contudo necessária naquele momento. Hoje tenho maior controle sobre minhas funções; desejo apenas manter a sanidade, e que isso seja consciente. Caso a inconsciência me atacar, não terei chance.


Muitas leituras, muitos momentos de reflexão, muitos momentos de solidão, muitos questionamentos, muitas crises, muitos choros, muitos momentos de desespero, muitos momentos de glória e jubilo. É assim que formei o “Ser” que sou. Precisei perder-me para reencontrar-me, incontáveis vezes! Cada “pequena morte” era um “grande renascimento”!


Em minha fase latente tive duas grandes mortes, e conseqüentes renascimentos de igual magnitude. Um ano se passou desde meu retorno, entretanto só agora retomei o caminho! Ao todo foram três anos de latência. Três anos de inércia. Três anos que me ajudaram a ver-me de fora, a encontrar-me e reencontrar-me tal qual me apresento e sou. Agora retorno ao mundo sem vergonha do que fui, do que sou e do que serei.

0 comentários:

Postar um comentário

Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...