quarta-feira, 10 de março de 2010

Rio de Janeiro, 10 de Março de 2010.

Texto em comemoração ao meu primeiro ano de Namoro ao lado da Elen. É um conto que descreve um pouco da nossa história. Boa leitura...

Quatro estações se passaram desde que em terras montanhosas, animais, pomar e bosque, durante uma caminhada à beira do Rio dos Desejos, passando pelo Lago dos Sonhos, descobri que estava diante daquela que havia buscado por toda a vida. Ainda sem saber ao certo a intensidade e veracidade daquele sentimento, caminhamos mais um pouco e após sermos recebidos por nossos anfitriões, fomos convidados à participar de um banquete. A anfitriã destacou nossos sorrisos a julgar pela forma que nos olhávamos e conversávamos. Pouco tempo depois, já próximo ao palácio onde se hospedara por aqueles dias, o céu tornou-se mais estrelado. Ria baixinho e meio tímida a lua, ao contemplar aquele encontro tão esperado. Todo o universo fez festa e abençoou o que era o principio da mais bela história de amor de todos os tempos.

Escrevo para testemunhar as maravilhas que a Princesa Guerreira é capaz de realizar. Eu, que por tantos caminhos andei e tanto vivi as coisas do mundo, encontrei a mulher, antes mesmo de saber que se tratava de uma Princesa, que dirá Guerreira. À beira do Rio dos Desejos e ao lado do Lago dos Sonhos, eu a conheci mais profundamente e a vi completamente nova que outrora. Com ela, eu estou aprendendo o significado dos céus e as emoções mais profundas que se pode sentir por alguém. Ela é digna de sua majestade. Ao longo das últimas quatro estações, rimos, comovemo-nos, ferimo-nos, caímos, levantamo-nos e continuamos a lutar ao lado um do outro.

Bem-dita foi a hora que nos conhecemos, hoje, cada um é, sem meias medidas, mais um do que dois. E isso vem aumentando a cada novo raiar do sol e tende a tornar-se oficial daqui a algumas estações. Segundo planos que seguem, é provável que seja quando a estação mais alvejante vier surgindo pela segunda vez, a contar de agora.

O que sei sobre a razão é complementado com o que ela sabe sobre a emoção. Apesar d’eu ter visto o paraíso de perto, minha racionalidade e desejo de estar junto aos homens da terra, me fez retornar e até certo ponto ofuscou toda beleza que apresentava-se diante dos meus olhos. Desejo um dia retornar ao paraíso, mas acompanhado por ela, não mais sozinho. Não sei se ela viu o paraíso da mesma forma que eu, mas sei que ela esteve lá, mesmo sem dar-se conta disso. Tenho certeza, ela esteve lá. Chego a pensar que tem um dos pés nele e outro cá, ao meu lado. Não precisa muito esforço para perceber isso.

Pelo o que já vivemos juntos, pelas noites de conversa ao luar, durante os passeios a pé ou cavalgando sobre os campos, posso precisar que sou o caminho mais curto que ela tem entre a emoção e a razão e ela é o caminho mais curto que tenho entre o céu e a terra. Somos complementares em quase tudo!

Ela, quando conhecida em profundidade, é motivo de orgulho e admiração. Seu coração é puro. É uma pena que no reino onde querem que vivamos, as outras princesas e as rainhas não lhe dêem o devido valor. Infelizmente suas palavras são quase inaudíveis, suas atitudes são vistas através de lentes foscas e seus sentimentos são, muita vezes, abafados e deixados de lado. É uma lastima esta realidade. Por isso estamos criando nosso próprio reino; afinal qual história de princesa não é repleto de irmãs truculentas, madrastas autoritárias e ela, a que mais sofre, digna de toda sorte de pompas e magnitudes, seja feliz para sempre?

Enquanto as dores são sentidas na carne, um segundo parece uma eternidade; entretanto, de acordo com que o desfecho for se aproximando uma felicidade sem igual tomará conta de todo nosso ser, e a eternidade perderá a noção de tempo.

Toda princesa, à exemplo dos melhores contos de fadas, assemelham-se mais às borboletas que às flores, haja visto que a segunda é bela desde sempre, enquanto a primeira, que possuía uma beleza exótica, visível aos olhos do príncipe, transfigura-se em um dos mais belos seres, e melhor, torna-se livre e não presa à terra. É esta a forma que encontrei para descrever a minha princesa. Vejo-a já como uma belíssima borboleta, acho que antes mesmo dela ver-se como tal.

Ela, por sua luta cotidiana, torna-se mais bela, poderosa e astuta à cada nova batalha vencida. Pensa que está fracassando, sente que do lugar onde está não sai nunca, mas isso não é verdade. Tens contribuído, e muito, para construir o seu mundo, o nosso mundo; assim como o mundo tem contribuído com ela, dando-lhe espaço para ser expandido. Mal percebe que seu suor é digno, suas lágrimas salpicam a terra donde há de nascer um pomar, e seu sangue, derramado quase todas as vezes, é fonte de vida, e vida em abundância.

Para todos aqueles que escrevem nas páginas da vida, ela – a vida – é tão áspera quanto quiserem ou tão polida quanto desejarem. Este é o poder que há nas mãos dos autores de suas existências: podem inventar o mundo que desejam habitar! Quem, em sã consciência seria capaz de inventar um inferno, podendo, e tendo condições para isso, criar um paraíso?

A princesa é minha fonte de maior inspiração e eu, enquanto observador/escritor, mesmo sem muita experiência, tento criar um mundo maravilhoso para ser vivido ao lado dela, tanto no agora quanto no depois. Sinto que esse acúmulo de “agoras” bem feitos e vívidos, pode ser a construção de passados luminosos e futuros promissores. Acredito nisso fielmente e creio que minha princesa também. Somos os autores, e estamos criando este belíssimo mundo para habitarmos. Uma vez que ela seja a princesa e a história vai sendo escrita dia após dia, à pedido dela, tornei-me o príncipe.

Estamos juntos, a cada novo nascer do sol, conquistando novas terras, expandindo o nosso reino e criando um mundo bom para se viver. Desejamos construir pomares e colher bons frutos, desejamos fazer valer tudo aquilo que conquistamos com suor, lutas, tristezas e alegrias, desejamos estar juntos para usufruir de tudo isso.

Escrevo, pois sou, ao menos acredito nisso, melhor com as palavras no papel do que na boca. Escrevo para deixar registrado os sentimentos que minha princesa me faz sentir. Escrevo enfim, para deixar marcado em nossa história para todo o sempre as palavras que brotam em meu coração enamorado e resplandecente. Registro aqui o princípio daquele que será o nosso “Futuro Reinado”. À medida que as fases da lua passarem, e com elas as estações, iremos escrever juntos o nosso conto de fadas. Um conto só nosso, compartilhado por todos quantos quiserem ouvir e viver conosco o que desejarem viver.

À você minha princesa, dedico esta minha obra, e com você desejo viver esse conto de fadas. Quem diz que contos de fadas não existem é porque perdeu a capacidade de sonhar e ver um mundo novo à cada dia. Toda vez que estivermos cansados do mundo, das lutas, de chorar, de sangrar e das infinitas tristezas, temos o “nosso mundo” – o nosso Reino – ao alcance das mãos e dos nossos sonhos. Basta fecharmos os olhos e deixarmo-nos conduzir por todo esse amor que existe dentro de nós.

Feliz um ano de namoro minha princesa!

Milhares de beijos,

Te amo muuuuuuuitoooooooooooooooooooooo.......

Seu Flávio.

Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...