quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Reflexão sobre o aborto!


Olá Pessoal,

Na última conversa que tive com a Elen - minha noiva -, sobre o aborto, fizemos uma boa reflexão sobre o tema e ela fez várias colocações muito pertinentes!

Uma delas, e a que me chamou mais a atenção, é: "Como alguém que nasceu, ou seja, que por amor de seus pais veio ao mundo, deseja, muitas vezes defendendo uma idéia, ser a favor do aborto"? Acredito que só aqui já temos um bom tema para um debate! Em maior ou menor escala, devemos fazer algo para elevarmos o direito à vida!

Li alguns textos, num fórum em que alguns amigos participam, e duas coisas que me chamaram muito a atenção: 1) Como os ambientalistas, que salvam o ovo da tartaruga que está em risco de extinção, não possuem a mesma dedicação à própria espécie a que pertence? 2) Como evitar que alguém que tenha R$ 5.000,00 disponível, não pratique o aborto? (OBS: Já fiquei sabendo de jovens que fizeram aborto por muito menos).

Concordo com a Elen quando diz que a formação do indivíduo é tudo para entrarmos nesta luta social, política, econômica, religiosa e cultural. Noutro texto li algo do tipo: "Mesmo que tenhamos um governo que concorde com o aborto, mas se a população não concordar de nada adiantará tal aprovação federal! Não foram estas palavras, mas a idéia, ao que me parece, foi esta!

Acho que temos muito para conversar e muito para fazer. Só para terminar gostaria de compartilhar algo com vocês. É apenas uma comparação!

Não sei se todos sabem, mas sou veterinário e este ano atendi muitos animais que sofreram reações adversas após a administração da vacina anti-rábica (Contra a raiva) na última campanha. As reações foram tão intensas que vários animais morreram antes mesmo de serem encaminhados à clinica! Tudo porque mudou-se um componente da vacina! Após este incidente, os governantes do Estado de São Paulo e Rio de Janeiro, por pressão de ONG's e orgãos protetores dos direitos dos animais, suspenderam a campanha!

A minha reflexão é: Se a lei que legaliza o aborto passar, quantas mortes teremos que contabilizar (Não só dos fetos, mas das mães também), até que os governantes vejam que cometeram um grande erro? Será que a filha de um Dr. Sr. Exmo, seria capaz de fazer aborto só porque a criança que ela está esperando não é do genro arquimilionário que o pai desejava? Será que o comércio de pílulas abortivas vai tornar-se o centro das atenções? Será que nos planos de saúde virão uma ressalva: "Agora, também pode-se fazer aborto com 50% de desconto"? Ou ainda: "Consulte a SAC do seu plano de saúde e veja em que categoria o seu tipo de aborto se enquadra"!

Pois é minha gente, o capitalismo tende a crescer, o governo a lucrar, as indústrias farmacêuticas a enriquecerem mais, os padres rezarem missas pelas almas das adolescentes mortas após abortos em clínicas particulares, na maioria das vezes em consequência de hemorragias; e o futuro da nação será controlado por seres humanos cada vez mais "perfeitos", já que teremos o "poder" de descartar qualquer feto que por ventura venha com "defeito de fabricação"! Alguns poderão pensar: Já que Deus não faz a parte Dele nos dando filhos "perfeitos, nós faremos a nossa parte até acertarmos e obtermos um filho do jeitinho que desejamos!

Abração,

Flávio Nunes.


OBS: O vídeo a seguir possui cenas fortes! Para todos aqueles que são mais sensíveis, FAVOR NÃO ASSISTIR!


21 comentários:

Nathália disse...

Concordo Plenamente!

Anônimo disse...

olá meu querido amigo....li este texto e gostei muito ....acredito que em pleno seculo 21 todos saibam os metodos contraceptivos,pois em todas as escolas os jovens recebem orientaçoes sobre como não engravidar...logo não é justo que uma criança pague pela irresponsabilidade dos pais,dos governantes que aprovaram esta lei maluca....houve uma época,na qual estava muito CEGA,que eu era a favor do aborto,mas um dia comecei a raciocinar e aí a minha cegueira foi indo embora dando lugar ...a uma nova opiniao.....mesmo que vc aborte e que a criança nao exista mais,os laços de mae e filho jamais serão cortados,eles irao existir para sempre.....logoo aborto É UM CRIME HEDIONDO...aí me perguntam qual é a minha opiniao em caso de um estupro....digo que é a mesma ,continua sendo crime,pois no momento da concepção o ovulo e o espermatozoide nao sabem de nada(no caso estupro),logo irão fazer o que a natureza os incumbiu.....e novemente uma criança vai ser gerada....que tambem nao sabe de nada.....logo se a mae nao quiser deverá dar para alguem que a olhe com outros olhos e não com os olhos de uma moça que sofreu a violencia descrita.... e se cada um fizer a sua parte e lembrar que transar é bom demais,mas que é preciso usar camisinha ou outro metodo que impeça uma gravidez indesejada.....aí sim ninguém mais vai cometer este crime e nem morrer por causa dele.....Devemos lembrar também que só devemos transar,sei que é uma visao machista e bem antiga como tambem ultrapasada ,nos dias de hoje,quando vc estiver ,nao vou dizer casar,mas quando vc encontrar uma pessoa e que vc a ame e ela idem....aí sim seria muito completo...A Clarissa minha prima,um dia na escola ela escreveu um conto que seria tudo diferente se as mulheres tomassem pilulas para engravidar,ao contrario do que é feito....quando o padre que leu a redação,gostou da ideia,mas disse a ela juntamente com a madre superiora da escola,que seria uma bagunça.pois todos transariam por aí sem amor....só por sexo...e que seria muito perigoso,pois seria um lugar sem lei....logo voltamos a sabedoria divina que nos diz que só devemos transar(vamos usar esta palavra)quando casar,assim não estariamos pecando....e nem precisando matar um inocente....só por puro descuido....
Meu querido amigo,não sei se escrevi direito,mas saiu fo meu coração,a clarissa também é da mesma opinião e muitas pessoas da minha familia tambem sao.....logo ....continuo pensando que..ABORTO É CRIME e que deveria ser punido quem o cometesse....Um grande beijo da amiga Julianna
Ps.: O miguel disse que assina embaixo de tudo que eu escrevi,ou seja, é da mesma opiniao...

Anônimo disse...

Flávio, mesmo que quisesse não retrataria o assunto com tamanha perfeição. Parabéns pela matéria!

Mary Kenchian disse...

Flavio,

Seu texto é lindo, quanto ao video não consegui assistir até o final é realmente muito forte.
Sou contra o aborto, mas sou a favor da legalização, por uma questão muito simples, uma mulher quando quer abortar ela aborta independente de ser legal ou não.
E com isso ela acaba correndo um risco maior de vida, talvez com a legalização esse risco diminuiria,
Em paises onde o aborto foi legalizado a quantidade de abortos não aumentou, o que na minha opinião quer dizer que legalizar ou não o aborto não vai aumentar ou diminuir as estatísticas.
Só vai dar às pessoas condições de fazer a coisa de forma segura.
Entendo e concordo com o seu ponto de vista e da Juliana, em pleno século XXI e com tantos métodos para se evitar só engravida quem quer, mas mesmo os métodos contraceptivos não são 100% seguros todos eles tem uma margem de erro.
Bom esse tema é muito complexo e nos levaria a uma discussão infinita sobre o Estado e a Igreja e tudo mais.
Tenha um ótimo final de semana.
Beijos
Mary

Fábio disse...

Flávio, então realmente o legal seria o aborto eles pensam no caso de uma mulher sofrer violencia sexual, mas o real seria dar assistências a essa mulher...
Minha mãe sofreu um aborto espontâneo (o organismo expulsou o feto)é complicado e minha mãe sente até hoje... Muito melhor assistência psicológica...

Flávio Nunes. disse...

Olá pessoal,

Primeiramente gostaria de dizer que fiquei muito feliz em receber os comentários sobre este texto que postei, e que fala sobre Aborto. Um tema sempre muito polêmico! Vou pegar as partes que me chamaram mais a atenção nas respostas de cada um e acrescentar algumas coisas pessoais sobre o assunto.


Olá Nathália,
Obrigado pela atenção. As portas estarão sempre abertas para os seus comentários!
Abração,
Flávio Nunes.


Querida Julianna,
Como te disse noutro momento, concordo com você, mas em partes! Realmente, hoje em dia o que mais se fala é sobre os métodos contraceptivos e concordo quando diz: “a criança não tem culpa da irresponsabilidade dos pais”! Houve uma época que eu era à favor do aborto, nos casos de estupro, mas hoje sou total e radicalmente contra! Infelizmente, faz parte da miséria humana aproveitar-se do outro, e no caso do estupro isso toma proporções gigantescas perante a sociedade e, diretamente, perante a vítima. É um trauma sem igual, muitas vezes indissolúvel. Mas tudo começa muito antes disso. Acredito que se devemos combater tal situação, não é aprovando leis, não é explicando sobre métodos contraceptivos, não é distribuindo preservativos gratuitos nos postos de saúde; é sim, RE-EDUCANDO o ser humano que conseguiremos obter alguma resposta positiva sobre isso. Muitos de nós, é viciado em “obter prazer”! Tudo gira em torno da obtenção do prazer! Seja ele qual for. Mesmo que não patologicamente, ainda assim, gostamos e nos esbaldamos quando a fonte de prazer nos é fornecida em abundância! A dificuldade encontra-se em CONTROLAR este “predador” que ruge dentro de nós. Transar é muito bom, como você disse, mas isso não nos dá o direito de sairmos por aí “gastando energia” desnecessariamente! Neste sentido sou um velho de 150 anos de idade, sou retrógado, sou totalmente conservador. Acho que o corpo do homem e da mulher é sagrado e como tal, deve ser preservado até o momento em que oficializem a união e os dois tornem-se uma só alma e um só corpo. Tudo depende de pura força de vontade e controle físico/emocional. O que o padre respondeu para a Clarissa é verdadeiro. Mas ele, o padre, talvez não tenha percebido que as pessoas já “saem por aí transando por puro prazer e sem amor”! Aprendi que esperar o casamento, o momento da consumação é um ato de respeito por mim mesmo e, principalmente, respeito pela pessoa que amo. Neste meu ato de espera, digo com todo o meu ser àquela que amo (à minha noiva, é claro): “Respeito seu corpo e tudo o que há de sagrado em você. Amo-te”! No fim, tudo é feito por amor e para o amor!
Obrigado pelo comentário!
Abração,
Flávio Nunes.

Flávio Nunes. disse...

Olá Anônimo,
Obrigado pelo elogio e pela atenção! Passe por aqui sempre que quiser e puder..rs..
Abração,
Flávio Nunes.


Olá Mary,
Primeiramente, obrigado pelo comentário! Quanto ao vídeo, realmente ele possui cenas muito fortes! Quanto à sua opinião, sobre a legalização do aborto e sobre os dados que disse sobre os países que legalizaram e os índices permaneceram o mesmo; acho que isso não seria uma realidade no Brasil. Esta é a minha opinião, eu posso estar completamente enganado. Mas deixe-me explicar por que acho isso! Acho que temos uma população muito ligada ao erotismo. E isso começa desde cedo dentro das casas, vindo muitas vezes pelos próprios pais, consciente ou inconscientemente. Nunca na história houve tantas crianças (Na minha opinião jovens entre 10 e 14 anos ainda são crianças), que engravidaram. Sabe-se lá Deus quantas destas, já fizeram abortos. Desculpe falar assim, mas quando você diz “Só vai dar às pessoas condições de fazer a coisa de forma segura”; gerará discórdias ferrenhas de alguns que defendem a idéia de que o feto já na concepção é considerado um indivíduo. Pois aqui não estamos falando em fazer a coisa certa ou não, legal ou ilegal, mas de MATAR um ser vivo que, se vivesse, teria uma história, uma família, amigos, que choraria, que riria, que sentiria o mundo tal qual qualquer um de nós o faz. Ao tirarmos sua vida, tiramos também o direito desse ser humano que está em desenvolvimento possui.
Como você bem disse este tema é muuuuuuuiiiiito complexo e nos levaria a uma discussão sem fim. Mas ainda assim, é algo que se não for discutido por nós, terá de sê-lo por outros.
Também desejo à você um ótimo final de semana!
Abração,
Flávio Nunes.


Olá Fábio,
Como já disse anteriormente, noutra resposta, defendo o direito à vida e não à legalidade ou ilegalidade! Acho que quanto mais tornarmos a coisa “difícil” mais vidas serão salvas. Entretanto, quanto mais ficarmos de braços atados e com nossas bocas fechadas, mais a “bola de neve” do aborto irá se desenvolver. Só para dizer uma coisa que não disse até agora, acho que antes de ensinarmos a população os métodos contraceptivos, deveríamos ensinar a população a respeitarem-se reciprocamente e a amarem, efetivamente e literalmente, os outros como a si mesmo! Entretanto, até isso corrompemos com nosso veneno! Sobre o aborto espontâneo, isso é algo fisiológico e que toda e qualquer mulher está sujeita. Às vezes o organismo não reage bem a uma gestação e a dificuldade pode surgir em qualquer etapa da gestação! Querido amigo, se sua mãe passou por este momento (Tenho uma amiga que passou por isso recentemente) e ela “sente até hoje” o ocorrido, é porque esse bebê era muito desejado e amado desde o momento da concepção! Não foi ao acaso e, atrevo-me a dizer, não foi por puro prazer!
Tenha um ótimo final de semana!
Abração,
Flávio Nunes.

Psiu Vilarins 1995 disse...

Sim. Devemos dizer sempre sim a vida. Quando o aborto acontece esse não atinge só a pessoa que o fez e ao feto. Sobrecarga de energias negativas toda a coletividade ao redor. vida sempre. Se queremos conservar as tartarugas, por que não conservarmos a nós mesmos?

Flávio Nunes. disse...

Olá Vilarins,
Obrigado pelo seu comentário! E desculpa demora ao respondê-lo!
Gostaria de dizer que não tenho nada contra a conservação das tartarugas ou de qualquer outro animal em risco de extinção. Sou um defensor da vida em todos os seus aspectos!
Escolhi, dentro da minha profissão (Medicina Veterinária), trabalhar com animais silvestres e exóticos, não para incentivar a comercialização destes e a criação destes em domicilio, mas escolhi esta área de atuação para cuidar destes que sofrem muito mais que qualquer outro animal em ambiente domiciliar!
Tenha uma ótima semana!
Abração,
Flávio Nunes.

Anônimo disse...

Olá meu grande amigo,concordo com tudo o que voce disse em seu etxto,concordo com tudo que a Julianna disse e com a resposta dada a todos,voce foi magnificamente sublime,lembrou-me a Clarissa,tenho certeza que ela é da mesma opinião que eu,vc ou melhor que nós!Na minha fazenda meu pai fez mais de duzentos restaurantes de passarinhos(como a Cla desenhou) pois aqui é proibido caçar,pescar ,tudo vive solto...e o mais gostoso de tudo é ver que na nossa piscina as capivaras enormes nadam,que mais de 23 tucanos(contei hoje) estão livres soltos,alegrando a todos com suas cores,que todos os passaros estão livres para ir e vir....que as lontras comem os peixes de um pesque e pague e correm para a nossa propriedade porque sabem que lá ninguém vai fazer mal a elas(agora,meu amigão< não me pergunte como elas sabem,que eu não posso responder,mas sei que elas sao atraidas por uma luz de bondade,e amor que se chama Clarissa,pois por onde ela passa ela faz questão de falar com todos os" irmãos menores"(como ela se referem aos animais)e fez até meu pai comprar o tal pesque e pague ,para acabar com tamanha tristeza dela,em ver o sofrimento dos peixes,sendo fisgados por monstruosos anzóis....e em breve a nossa fazenda será declarada,reserva da mata atlantica e paraiso de animasi silvestres(como a minha irmã sempre quis)bem,agora melembrei dos micos,que vez em quando atacam a nossa cozinha e furtam frutas e outras coisa mais,,,,,bem nao sei se consegui dizer algo que valha a pena,mas lembrei somente agora que tambem sou contra a legalização do aborto,pois estaremos fazendo propaganda ,como a igreja diz que é contra a propaganda de distribuição de camisinhas...fazendo propaganda negativa!!!logo este assunto necessita de muita reflexão de todos os lados,do homem,da mulher,da igreja,dos mais velhos,dos governantes e dos juízes também,melhor de toas as pessoas do mundo seja elas quem for.....abraços e gostei de tudo o que voce procurou mostrar!!!!do Miguel(Miga)

Anônimo disse...

Olá Flávio,

Mais uma vez estou aqui para comentar sobre seus textos. Hoje de um jeito diferente, elaborei um texto baseado em diversas matérias que li,em experiências que já vi, te convido para uma reflexão,do meu ponto de vsita,sobre um dos temas mais polêmicos da história.
Religiosos, políticos e médicos debateram, condenaram ou defenderam o aborto ao longo dos séculos.Uma prática que nem os maiores tiranos nem os papas mais influentes conseguiram banir.

Hipócrates(460–377 a.C.),preocupado com o risco de morte das mulheres,no célebre Juramento -declarado até hoje por médicos formandos- disse:
“Nunca sugerirei a nenhuma mulher prescrições que a possam fazer abortar.”

Naquela época,a gravidez só era confirmada ao primeiro movimento do bebê no útero. Aristóteles dizia que o aborto para fins de controle populacional deveria ser realizado antes do surgimento da alma,e que era necessário para evitar o abandono de crianças (abandonar, vender ou matar filhos inesperados era a solução para controlar o tamanho da família romana)
A descoberta do óvulo,em 1827,transformou a idéia da concepção: agora,a vida começava na fecundação.

Ao lado de “paz” e “amor”, “vida” é uma daquelas poucas palavras capazes de provocar unanimidade. Quem pode ser contra “Amor” e “paz”?No entanto, são conceitos cuja definição não desperta polêmica. Com “vida” é diferente. Ninguém é capaz sequer de explicar o que é vida. Só no dicionário Aurélio há 18 tentativas. Mas em geral, nos contentamos em falar que vida é vida e pronto.
Para a Igreja, vida é o encontro de um óvulo e um espermatozóide e, portanto, não há qualquer diferença entre um zigoto de 3 dias, um feto de 9 meses e um homem de 90 anos.
Vida também é o oposto de morte, então ela pode se iniciar quando começam as atividades cerebrais, por volta do 2º mês de gestação.
A resposta sobre a origem de um indivíduo será decisiva para determinar se aborto é crime ou não. E se é ético manipular embriões humanos em busca da cura para doenças como o mal de Alzheimer, diabetes, deficiências físicas, entre tantas outras doenças.
Quer dizer então que governo brasileiro proíbe o aborto mas permite a manipulação de embriões humanos vivos? Sim, pois só iremos descobrir o potencial das células-tronco embrionárias se pudermos estudá-las e esses avanços são essenciais para a saúde pública.(Mas isso é assunto para um outro tópico)

A idéia de vida e a importância que damos a ela varia de acordo com culturas e épocas. Vemos que o catolicismo é uma das únicas grandes religiões a afirmar que a vida começa no momento da fecundação e a equiparar qualquer aborto ao homicídio.
O judaísmo e o budismo, por exemplo, admitem a interrupção da gravidez em casos como o de risco de vida para a mãe .
Hoje, a ciência tem muito mais a dizer sobre o início da vida, que começou há milhões de anos e cada um de nós é fruto contínuo daquele processo.
Biologicamente a formação de um novo ser, com um novo código genético, começa no momento da união do óvulo com o espermatozóide,apesar de haver pelo menos 19 formas médicas para decidir quando reconhecer esse embrião como uma pessoa.

Fui educada com base no catolicismo, respeito todas as formas de fé e crença; mas refletindo sobre tudo isso, vejo que cada um tem sua escolha, cada pessoa tem sua verdade.
Eu continuo sendo contra o aborto, porém não ignoro a enorme questão social que leva a essa prática. Esse enorme abismo que assola nossa sociedade; essa real causa.
Como olhar para uma menina que não teve base familiar, que não sabe respeitar seus próprios limites e seu corpo, criada na periferia da cidade e da vida, sem futuro algum...
Será que de fato ela escolheria esse destino?Escolheria engravidar e abortar?Escolheria estar privada de inúmeras informações sobre cuidados durante a relação sexual?Escolheria não ter acesso à metodos contraceptivos mais eficazes?
Esta menina que vê o sexo de forma tão banalizada e não mais como uma relação de amor, não é apenas uma estatística.

Estas são questões a serem pensadas...

Thaísa Figueiredo

Flávio Nunes. disse...

Olá Miga,
Obrigado por mais este comentário! Agradeço em particular o seu “magnificamente sublime” e o fato da minha resposta fazê-lo lembrar o que a Clarissa diz a respeito do tema!
Que maravilha vocês na fazenda pensarem e agirem assim, tal qual relatou em seu comentário! Sabia que eu, por trabalhar também com animais silvestres/exóticos, já desenvolvi projetos relacionados à Conservação do meio ambiente, resgate e re-introdução de animais em vida livre? Pois é, eu adoro fazer isso e se eu pude escolher entre trabalhar diretamente como meio ambiente ou dentro de um consultório, eu escolheria, com toda certeza estar junto à natureza a maior parte do meu tempo! Meu amor é tanto por esta área, que eu tinha um "ambulatório" em minha casa..rs.. só para cuidar de animais silvestres vítimas de atropelamento, apreendidos e vítimas do tráfico ou que seriam mortos por pessoas que não sabem lidar com o "diferente"!
Infelizmente não consegui encontrar um lugar, uma instituição ou uma ONG que me dê condições de “sobreviver” (Financeiramente falando..rs..) e trabalhar com os animais de vida livre; fazendo clínica médica, cirúrgica (ser for o caso), educação ambiental, desenvolvendo projetos, cursos, palestras, etc, etc, etc. Sei que tenho condições para isso, mas tudo o que fiz até o momento foi apenas por minhas próprias forças e suor e não teve nenhuma repercussão! Infelizmente!
Tenha um ótimo fim de semana!
Abração meu amigo,
Flávio Nunes.

Flávio Nunes. disse...

Olá Thaísa,
O que dizer diante do seu texto? Estou sem palavras.
Você aqui fez um levantamento histórico/cultural interessantíssimo! Acho que as pessoas deveriam ler o seu texto (Assim como o comentário de todos os outros que aqui se manifestaram) e levarem esta discussão para as salas de aula, para as rodas de amigos num restaurante, no “happy-hour” por exemplo..rs.. Acredito que se tudo o que você escreveu e as questões que você levantou no fim do texto forem detalhadamente conversadas e averiguadas, muito será trabalhado e quem sabe algo “novo” possa surgir daqui! Talvez um projeto de governo mais elaborado, talvez uma nova diretriz para abortar e ligar com o assunto nas escolhas, nas universidades, no parlamento e, principalmente, dento das casas, junto às famílias!
Gostaria de agradecer enormemente a sua atenção, a seriedade com a qual tratou o tema e o seu carinho comigo, com os outros que postaram seus comentários e com o Blog como um todo!
Tenha um ótimo fim de semana!
Abração do amigo,
Flávio Nunes.
PS: Parabéns pela profissão que escolheste! Tenho certeza que você faz a diferença por onde passa!

Anônimo disse...

Olá Flávio,
Vim para agradecer a delicadeza nas palavras e dizer que fico feliz por ter colaborado de alguma forma com o que escrevi...
Muito ainda tem que ser feito e discutido sim,este é um assunto que vai perdurar nas gerações futuras.

Espero que as pessoas leiam este tópico,reflitam e até mudem a sua concepção sobre a Vida.

P.S:Na verdade,acho que foi a profissão quem me escolheu...rsrs.Obrigada pelos votos!!!

Tenha um lindo final de semana!!
Da sempre amiga,
Thaísa Figueiredo

Anônimo disse...

Parte1(reflexao)

Cada um de nós, por crença ou conveniência, se inclui na concepção de ser humano que adota. E, por ela, concebe e julga os demais. Se adotarmos a concepção cristã de pessoa humana, que fecunda a civilização ocidental há mais de 2.000 anos, a atitude diante da vida humana não pode ser casuística, reducionista e relativa, pois a vida humana transcende todas as possibilidades de apreensão absoluta, de definição “coisificante” e fechada ao imanente, em qualquer situação.

Após 2.000 anos de História, somente nas últimas décadas, sem segurança de qualquer ordem, nem mesmo científica, mas inebriada por promessas paradisíacas, há muitos interesses não revelados, a sociedade ocidental procura relativizar o fundamento ontológico de nossa civilização. Esse processo medra à medida que cresce o hedonismo consumista, sob o suposto de que a única verdade é o relativismo materialista, encimado pela liberdade comprometida com o hedonismo, elevada ao absoluto.

A nova visão que se desenha, sem rosto definido, esvazia todos os valores fundantes da pessoa humana, relativizando-os, para torná-los meros regulamentos positivos e transitórios, sempre sujeitos às vicissitudes dos humores dos de que se julgam investidos de algum Poder. Pouco a pouco, nós, pobres mortais, somos empurrados a reviver, quanto aos direitos fundamentais, modelos pré-cristãos a começar pelo direito à vida.

O que deveria ser valor por si mesmo em razão de constituir a própria pessoa humana, transforma-se em benesse do Poder. À medida que os valores da pessoa humana são relativizados, o Poder do Estado se diviniza.

Assim, uma nova história contra a pessoa humana, encurtando sua vida, relativizando-a, começa a ser desenhada. Bem dizia Heidegger, ao denunciar nossa civilização, que nunca se acumulou tantos e tão diversos conhecimentos a respeito do homem como em nossa época e, paradoxalmente, em nenhuma fase histórica se soube tão pouco como agora o que é ele. Essa a razão da crise que abocanha o humano do ser humano e institui o aborto. O aborto é fruto da decadência, não da evolução e do engrandecimento da pessoa humana.

Anônimo disse...

Parte2
Mata-se o homem, ao menos no seu início, por enquanto, para trazer mais paz e felicidade a todos, principalmente às mulheres, fonte da vida, como se no nascituro estivesse o problema, sem se aperceber que esse ato é decorrência da perda dos referenciais valóricos transcendentes ao próprio homem e da conseqüente euforia relativista. O que era respeito à vida, tornou-se um direito de morte, pela ação dos agentes do aborto. É imperioso que nasça um grito de alerta para cortar o silêncio da morte. Morte é morte. Morte de vida humana.

Agimos acreditando que conhecemos o suficiente a respeito da vida humana, para defini-la objetivamente, dada a estimativa da quantidade de conhecimentos produzidos, mas não queremos admitir que, ainda, para responder às questões que nascem das mais profundas exigências do nosso ser, a ciência não nos dá a resposta reclamada e digna à vida humana, e, por isso, continua a interrogação existencial – o que somos? -, exigindo o complemento da fé como resposta, ou seja, o apoio de fora de tudo o que o positivismo e o iluminismo alcançam.

Com efeito, há uma fé do materialista em encontrar todas as respostas na pura matéria, fé que ultrapassa tudo o que se conhece através da matéria. Ora, da matéria macro e micro, nada conhecemos, a partir de um determinado grau, mas nem por isso deve-se negar a existência dela. Se a vida não é conhecida cientificamente, em si mesma, na sua totalidade, nem por isso podemos dizer que a vida não exista. A insistência nas possibilidades auto-suficientes e onipotentes de a matéria poder dar todas as respostas à vida humana, por meio dos “sagrados cientistas”, leva-nos a um panteísmo cósmico, de retorno, em termos filosóficos e valóricos, ao panteísmo anterior ao nascimento da Filosofia, enquanto ciência do conhecimento produzido pela nossa razão natural a respeito dos fundamentos últimos de tudo o que existe.

Mais uma vez, temos que convir que o que sabemos, apesar de ser muito, é muito pouco para conhecer a vida, mas mesmo assim arriscamos a reduzi-la a este pouco, a torná-la quase nada, e, mais que isso, arvoramo-nos no tirano direito de definir, sem elementos racionais de definição, que a vida tem início quando o homem quer e não desde a ordem natural e ontológica da concepção. Eis o suposto do voluntarismo hedonista, alimentado pelo relativismo, que conduz toda a motivação para o aborto, concebendo a vida humana como uma manifestação que se esgota na matéria, cujos “sacerdotes” são os “cientistas” que professam o materialismo cientificista, não apenas como método, mas como metafísica do fim último de tudo. E há os que, dizendo-se “religiosos”, no agrado aos cientificistas, em nome de uma modernidade que não sabem o que é, fingem compatibilizar o Deus da Vida com o direito de morte ao nascituro, relativizando o “Não Matarás” e destronando o evangélico direito à vida desde a concepção, cuja ação visa, inclusive, a ferir a Igreja Católica. Cada vez mais, quem defende o direito à vida do nascituro é confundido com católico e católico não tem direito de falar porque os donos da vida já decidiram que acabarão por convencer o povo de que o aborto é uma necessidade para salvar os vivos.

Anônimo disse...

Olá Meu grande amigo....fui eu que te mandei a reflexão acima(parte1 e parte2)....beijos da Julianna

Anônimo disse...

Olá Flávio Nunes!!!

Primeiramente,parabéns pelo blog Excessivamente Humano,este é meu primeiro acesso e já gostei bastante.
Mas o motivo maior dessa visita, foi vir prestigiar a reflexão que minha grande amiga fez sobre o aborto e, que tanto me impressiona,porque ela está sempre surpreendendo de alguma forma!!!!

Comentamos sobre esta questão há alguns dias atrás e ela mencionou o seu blog e o texto que tinha feito,por isso estamos fazendo esta pequena "invasão" aqui - coloquei no plural porque não estou sozinho,é uma análise em grupo,mais adiante você vai entender -,voltando ao tema,falar de aborto já é uma polêmica;às vésperas da eleição para presidente, ainda não sabemos o futuro desta causa.Mas a minha amiga conseguiu se expressar de uma forma tão precisa; relacionando o lado científico,social e religioso do aborto de forma imparcial,convidando o leitor a escolher seu próprio caminho,sem impor sua opinião,como nesta parte,com suas próprias palavras:
"(...)refletindo sobre tudo isso, vejo que cada um tem sua escolha, cada pessoa tem sua verdade."

Isso tudo depois de expor como o aborto era visto desde a Antiguidade e com é até os dias de hoje.
Contar o lado histórico e depois levantar uma questão social que vem acontecendo no país...enfim,para continuar falando vou ter que revelar o nome da minha amiga,mas eu acho que você já desconfia,rsrs.Ela é conhecida como Thatá Figueiredo para os amigos, Thaísa Maria para a família e Thaísa Figueiredo para os demais.
Sim,seu segundo nome é Maria e, ela tem muito orgulho em dizer que foi por uma promessa de sua mãe e por vontade da Mãe de Jesus e do Filho de Deus, ela está aqui entre nós - é uma guerreira desde que nasceu - Por isso imagino como foi difícil para ela escrever sobre o aborto,mostrando todos os lados da história,não apenas o religioso. Sem contar que ela poderia ter defendido apenas a tese médica,científica...já que é uma área conhecida e a profissão que ela escolheu.
Roubando um pouco suas palavras Flávio Nunes,é por isso que a Thaísa faz a diferença por onde passa e é tão querida por nós!!!!
É uma sensibilidade e maturidade única,sempre falo isso pra ela.
Gostaria de encerrar deixando um recado nosso pra ela:

Thatá,estamos aqui surpreendidos com seu texto,parabéns!!!!!!!!
Nós concordamos com o Flávio Nunes, as questões que você levantou aqui, são extremamente relevantes e dariam um belo projeto de governo se fossem detalhadamente discutidas.
Continue nos enriquecendo com suas teses,continue expondo sua opinião...estaremos sempre por perto te acompanhando de alguma forma.
Espero que goste da surpresa!!!!!! =D
Obrigado ao Flávio Nunes por nos conceder isso...rs!

"Tua caminhada ainda não terminou.
A realidade te acolhe
dizendo que pela frente
o horizonte da vida necessita
de tuas palavras.

É certo que irás encontrar situações
tempestuosas,
mas haverá de ver sempre
o lado bom da chuva que cai.
Vá em frente,
pois há muitos que precisam
que chegues para poderem te seguir."
[Charles Chaplin]


Daniel
Thais
Mell
Aline(bina)
Xandão
Bel
Beta

Carol
Müller
Dani
Davi
Sadrak
yasMin
Marcella
Bela
Anne
Diogo
Débora V.
Lucas

Anônimo disse...

Sem palavras...só posso agradecer muito,por tudo isso!!!

"Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!!!!
São indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.
Se alguma coisa me consome, é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos..."
[Vinícius de Moraes]

P.S:Olá Flávio,peço desculpas por essa invasão em massa aqui no seu blog...rsrs.


Lindos textos novos,logo irei comentar!

Bjs,
Thaísa Figueiredo

Anônimo disse...

O aborto para mim é assassinato de um inocente que nem pode se defender,não tem outra palavra pra isso.Nao sou de ficar enrolando.obrigada Maria das graças

Flávio Nunes. disse...

Olá Srª. Maria das Graças, Olá Todos,
Sem a sua mensagem eu não teria me lembrado de responder os comentários que aqui estão!
Infelizmente já se passaram muito tempo desde que publiquei esta postagem e o tempo de resposta, na minha opinião, já passou também. Entretanto, gostaria de expressar as minhas sinceras desculpas a todos que não respondi até o momento e dizer que li todos os comentários e os achei muito interessantes e pertinentes!
Abração do amigo,
Flávio Nunes.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares