segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Atrasado!


Não fosse eu ter dormido sentado na privada e ela se maquiando ao mesmo tempo que dizia-me a hora de cinco em cinco minutos, o que me deixa ainda mais atrapalhado, teriamos chegado no ponto de ônibus quinze minutos antes, não teriamos perdido o transporte que "quase" sempre pegamos e não estariamos enfrentando este transito dos infernos. Droga, mil vezes droga... Que raiva!


Mas o que se pode fazer? Pedir para o motorista abrir a porta, agradecer por ter andado sete quilômetros em uma hora e sair correndo como um maluco pela estrada rumo ao meu destino? Não fosse meu ponto final estar a uns cinquenta quilômetros de distância, esta seria uma boa opção! Outra opção seria teletransportar-me diretamente para meu trabalho. Entretanto, pela hora, por hora, melhor seria passar na padaria para tomar o café da manhã. Esta será uma boa opção no ano 4.681! Infelizmente, até lá, já terei morrido! Por enquanto vou sentindo o cheiro do mangue, que fica à beira da estrada e vendo minha noiva ao meu lado, com a outra parte do fone de ouvidos, dormindo! Que maravilha dormir nesta circunstância.


O que fazer? Não posso sair correndo, não posso teletransportar-me,... Resta-me esperar, apreciar a paisagem, distrair-me com as músicas no rádio, acompanhar as notícias sobre o trânsito, esquecer-me do tempo, rezar para os motoqueiros chegarem a salvo em seus destinos e para que as ambulâncias não encontrem um ou mais corpos sem vida na estrada! Acho que vou escrever; esta sim é uma boa opção neste momento tão vagarosamente irritante!

.

.

.

Estou chegando à metade do caminho, que maravilha! Estou muito atrasado! Ela acordou, esta linda como sempre. Eu estou preocupado! Agora é enfrentar a Ponte. Daqui a pouco chego na Tijuca e com sorte no trabalho, apenas uma hora atrasado!

2 comentários:

Antonio de Aruanda disse...

Para que correr, amigo, se você é eterno?

Flávio Nunes. disse...

Olá Antonio,
Pois é... pois é... Para que correr?!?!?!
Obrigado pelo comentário meu amigo!
Abração,
Flávio Nunes.

Postar um comentário

Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...