quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Filhote!


Tudo estava indo muito bem não fosse o atraso de sempre. Era impressionante a capacidade que ela tinha de sair atrasa de casa. O pior é que sempre esquecia algo; relógio, cordão, cartão de transporte, até a carteira com dinheiro, cartão de crédito e documentos já esqueceu. Se tinha algo que precisava fazer urgentemente era um curso de administração de tempo.

Naquela manhã algo diferente ocorreu. Ela saiu de casa atrasada, esqueceu de colocar os brincos, mas no caminho para o trabalho havia uma novidade singular. Naquela manhã próximo ao seu trabalho havia uma senhora com uma caixa de papelão cheia de filhotinhos. Eram cães sem raça definida, entretanto um mais lindo que o outro. Ela não resistiu e parou para olhá-los mais de perto.

- Que gracinhas. Quanto tempo de vida eles têm? Perguntou.

- Estão completando cinqüenta dias de vida, já estão desmamados, vermifugados e com uma vacina feita! Respondeu a senhora, que pela descrição e explicação tão detalhada, ou estava vendendo ou doando os pobrezinhos.

- A senhora está vendendo-os?

- Não, estou doando! Eles são uma graça não é mesmo. Você se interessou por algum?

A mulher pensou: “É claro, me interessei por todos; mas não posso levá-los”! Olhava cada um e via ali, diante de seus olhos, os pequenos e indefesos filhotes. Eram cinco no total. Já estava para ir embora, quando de repente ouviu o latido de um deles, era o menor de todos, entretanto o que possuía o olhar mais “fofo e lindo” de todos! Ela não conteve-se e continuou o diálogo:

 - Por que está doando estes filhotes?

- Cuido de muitos animais de rua e a mãe destes chegou para mim já grávida. Não podia desampará-la neste estado. A acolhi e cuidei dela até que estas pequenas belezinhas nascessem, entretanto não posso ficar com todos em casa, a despesa é alta, por isso estou doando-os!

A conversa da senhora convenceu a mulher! Era tarde, naquele instante ela sabia que o “Pequeno Polegar” seria seu.

- Estou indo para o trabalho agora e por sinal estou muito atrasada. Saio às 17:00h, você ainda estará por aqui?

A senhora disse que sim e confirmou com um balanço de cabeça.

- Será que pode deixar este aqui separado para eu vir pegá-lo logo mais? Disse isso apontando para o menor de todos.

- Claro que posso, de agora em diante ele é seu! Cuidarei dele até que você saia do trabalho. E assim o fez!

O dia passou e a mulher não tirava o pensamento do “Pequeno Polegar”, nome que criou assim que olhou para aquele pequena criaturinha de Deus, nascida na casa de uma senhora de bom coração e possuidor dos olhos mais lindos e “pidões” que ela já havia conhecido.

- E então, onde está o meu “Pequeno Polegar”? Disse a mulher aproximando-se da senhora que ainda estava sentada no mesmo lugar desde a manhã.

- Está aqui! Olha, vou te contar, você deu muita sorte! Como pode ver, só doei uma irmãzinha dele, os outros estão todos aqui. Confiei na sua palavra e cuidei dele para você durante todo o dia. Para este aqui não faltaram propostas, mas como já havia prometido ele à você, aqui está o pequenino.

Após estas palavras ela tirou o filhote de dentro da caixa e o entregou à mulher que logo o acalentou em seus braços.

Não demorou nem meio minuto e o pequenino já estava lambendo o queixo e o pescoço da mulher, se não ficasse atenta, lambia também a boca e o seu nariz. Ele era uma “gracinha”! Sua cauda não parava de balançar; segundo o que leu numa revista especializada a algum tempo, isso era uma demonstração de alegria e/ou felicidade por parte dos cães. Foi amor a primeira vista!

Por indicação da senhora, procurou um Petshop próximo ao local de onde estavam e lá comprou ração, vasilhas de água e ração, caminha, brinquedos e coleira. O que não gastou no cão, investiu no Petshop.

Já havia tido outros animais ao longo da vida, entretanto esta era a primeira vez que teria que cuidar sozinha de um animal só dela. Morava sozinha e por um lado, o filhote lhe serviria de companhia. Por indicação da senhora e por conselho do atendente da loja de animais, ela no dia seguinte, aproveitando seu dia de folga, pegou o “Pequeno Polegar” e levou-o a um veterinário.

- Dr., estou com ele a pouco mais de doze horas, o adotei de uma senhora a três quadras daqui e gostaria de saber quais as recomendações preciso tomar para cuidar bem do meu “bebezinho”!

O veterinário olhou aquela cena com um olhar bem singular e experiente, deu um leve sorriso e disse:

- Então a senhora P achou mais uma bela alma por aqui (risos)! Começou ele tecendo um leve elogio em função de ter pegado o filhotinho para criar. Ela por sua vez pensou: “Então não é a primeira vez que aquela senhora doa filhotes”!

- O senhor conhece a senhora que me doou este filhote? Tudo bem eu ficar com ele?

- Claro que conheço, ela é uma excelente pessoa, muito simpática e carinhosa. Faz um trabalho espetacular com os animais de rua. Quanto à procedência dos filhotes, sim pode ficar com ele, certamente está muito bem tratado; bem melhor que muitos humanos por aí!

- Mas então Dr., o que tenho que fazer agora, neste instante!

- Neste momento eu preciso avaliá-lo, ou seja, verificar como está o seu coração, pulmões, parte esquelética, muscular, fazer a apalpação abdominal, ver o peso e a temperatura;  em seguida lhe direi o que faremos!

 Após todo o procedimento terminado, o Veterinário constatou que o filhote gozava de plena saúde e que o melhor que poderia fazer para ele, naquele momento, era vaciná-lo! Tudo pronto, ele fez a aplicação, no que o filhote fez apenas um sinal de choro, mas nada digno de nota.

- Olha só, ele está ótimo! Agora é só observar se ele irá ter febre de hoje par amanhã ou algum sinal de quietude! Ainda assim, estes sintomas são sinais da reação pós-vacinal! Normalmente tudo volta ao normal dentro de, no máximo, 48 h; tem animal que nem reação desenvolve.

- Ufa, que tranqüilidade Dr.! E a vacina pago em que lugar, aqui mesmo com o senhor ou lá na recepção?

- Na recepção! Não se esqueça de trazê-lo aqui novamente entre 21 e 30 dias, para nova vacina!

Ela assentiu com a cabeça.

- E antes que eu me esqueça, ele não é o seu “Bebê”! Ele é um novo membro da família, mas não é um bebê; é um cão e deve ser tratado como tal!


PS: Uma consulta minha dura, em média, entre quinze e vinte minutos! Nela eu procuro fazer uma boa anamese do paciente e conhecer melhor o proprietário! Em 95% dos casos a consulta possui muito mais perguntas que no presente texto, mas não as inclui aqui para não tornar o conto cansativo! O motivo de todas as peguntas é conhecer melhor o cão e o dono, para no fim direcionar o tratramento! Vale dizer que, por minha própria experiência, mais de 50% dos problemas em animais domésticos é causado pelo próprio dono! 
Espero que a leitura tenha sido boa!

6 comentários:

Karlla Patrícia disse...

Seus textos são sempre incríveis... Meu apartamento só me permite no máximo um hamster... Por mim, teria varios cachorrinhos, pq eu adoro!!!!

Juzinha disse...

Muito bem escrito Dr.
Traduz a ansiedade das "mães" de primeira viagem.
Parabéns pelo seu trabalho!

Flávio Nunes. disse...

Olá Karlla,
Obrigado pelo comentário e pela participação cada vez mais constante no Blog!
Estou com a mesma dificuldade que a sua...rs.. no momento não posso ter muitos bichos aqui no apartamento, mas como lido diariamente com cães, gatos, roedores, lagomorfos, aves e répteis..rs.. Em parte, sinto-me parcialmente "completo"..rs..
Abração,
Flávio Nunes.

Flávio Nunes. disse...

Olá Juzinha,
Agradeço o seu comentário e aproveito para dizer que o texto traduz um pouco do que vem ocorrendo comigo no atendimento clínico de filhotes!
Obrigado pela atenção e carinho!
Abração,
Flávio Nunes.

Gihh,Marih,Leh disse...

Legaal seu texto eu adoro cachorros acho que eles sao muito fofos...mais eu nao posso ter porque sou alergica
e assim eu tenho uma hamster muitooo linda*-*

Flávio Nunes. disse...

Olá Gihh, Marih, Leh,
Obrigado pelo comentário! Fico feliz que tenha gostado do texto. Quanto a alergia, você já conheceu algum veterinário alérgico em sua vida? Não? Então, muito prazer..rs.. Fazer o que né, minha vontade de ajudar os animais é mais forte que minha alergia..rs..
Quanto a Hamster, cuide sempre da alimentação de deles; nunca dê alface, nem excesso de semente de girassol!..rs.. Dicas básicas e que podem aumentar a longevidade dela!
Abração,
Flávio Nunes.

Postar um comentário

Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...