terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Médicos Sem Fronteiras - MSF!

Olá Amigos,

No último dia 07/11/2010 eu publiquei um texto chamado "Doses de Horror", onde fiz uma reflexão sobre não desviarmos o olhar daquilo que nos causa dor e sofrimento! Para ilustrar o texto eu coloquei uma fotografia onde mostra uma "Drª Sem Fronteiras" trabalhando!

Este texto foi lido por uma grande amiga chamada Thaísa, que é vestibulanda de medicina e cujo meta é trabalhar para esta Associação Humanitária, os Médicos Sem Fronteiras. Trocamos algumas mensagens e decidimos escrever um texto que divulgasse o trabalho dos MSF. A convidei para escrever o texto e disse que iria publicá-lo aqui no Blog. Infelizmente meu computador deu defeito e tive que adiar a publicação até a data de hoje..rs..

Então, sem mais demoras, publico o texto enviado pela minha amiga Thaísa! Desejo, do fundo do coração, que todos gostem do texto e que direta ou indiretamente divulgem o trabalho dos MSF. Certamente, no mundo de hoje, eles possuem um papel fundamental para a saúde dos nossos irmãos mais carentes e necessitados, que tenham passados por catastrofes naturais e/ou que vivem em países em que as condições de vida são precárias! É um trabalho que literalmente gera vida e leva a cada um que é amparado a esperança de um mundo melhor!

Abração meus amigos... Aguardo comentários!!!!

Flávio Nunes.



_______________________________________________

BEM-VINDO AO MUNDO MSF
Muitos desviam o olhar, mas nós estamos atentos. Acreditamos que a ajuda humanitária não pode parar nem ter fronteiras...nosso hospital é o mundo!!!!

Texto de: Thaísa Figueiredo

Criada em 1971, na França, por um grupo de jovens médicos e jornalistas,a organização surgiu com o objetivo de levar cuidados de saúde para quem mais precisa, independentemente de interesses políticos, etnia, credo ou nacionalidade. Em 1972, MSF fez sua primeira intervenção na Nicarágua após um terremoto que devastou o país, associando socorro médico e testemunho em favor das populações em risco.
São cerca de 28 mil profissionais espalhados por mais de 60 países, atuando diariamente em situações de desastres naturais, fome, conflitos, epidemias, combate à doenças negligenciadas e à exclusão do acesso à saúde.

Oferecer cuidados de saúde em situações de crise é a base do trabalho de Médicos Sem Fronteiras, uma iniciativa que é independente de governos e sustentada, em grande parte, por contribuições privadas. Internacionalmente, os fundos privados representam mais de 85% dos recursos disponíveis, com o restante originário dos fundos institucionais.
Além de oferecer atendimento em situações de extrema urgência, MSF também se faz presente em locais onde o sistema de saúde não funciona, ou não existe. A organização oferece cuidados de saúde básica e de prevenção em campos de refugiados, áreas de grande instabilidade ou extremamente isoladas. Quando há uma emergência, uma intervenção pode ser efetuada entre 48 e 72 horas após identificado o problema. Por trás da agilidade de MSF, está um sistema de logística extremamente eficiente.

Trabalhando com neutralidade e imparcialidade, os Médicos Sem Fronteiras reivindicam, em nome da ética médica universal e do direito à assistência humanitária, a liberdade total e completa do exercício da sua atividade. Eles se empenham em respeitar os princípios deontológicos da sua profissão e em manter uma total independência em relação a todo poder, bem como a toda e qualquer força política ou econômica. Voluntários, eles medem os riscos e perigos das missões que realizam e não reclamam qualquer compensação que não seja aquela oferecida pela organização.


. Algumas das várias atuações:
> Brasil
MSF trabalhou de 1991 a 2001 na Amazônia, atuando na saúde preventiva de tribos indígenas. Hoje,a organização está de volta à região amazônica para realizar o treinamento de profissionais de saúde no diagnóstico e tratamento da Doença de Chagas.
No Rio de Janeiro, MSF realizou projetos em áreas de risco social, oferecendo cuidados de saúde e psicossocial.A organização também prestou assistência médica, social e psicológica para moradores de rua do Rio.
Em Minas Gerais, no Vale do Jequitinhonha, MSF realizou um projeto de emergência, após uma das maiores enchentes na região, em 2002; e ofereceu, neste ano, uma capacitação em segurança para equipes de saúde da família atuando em áreas de vulnerabilidade social de Belo Horizonte.
As vítimas das enchentes em Alagoas já saíram dos jornais, mas a emergência continua. A organização MSF continua a atuar nas regiões mais afetadas do estado. As chuvas deixaram 34 mortos e 25 mil desabrigados na região.

>
Etiópia
Na tentativa de conter uma grave crise alimentar, Médicos Sem Fronteiras iniciou vários projetos, no Sul da Etópia, em maio deste ano. Desde então, mais de 24 mil pacientes gravemente desnutridos já passaram pelos centros de nutrição de MSF. A desnutrição representa um terço das 8 milhões de mortes anuais de crianças com menos de cinco anos.

> África do Sul
Estudo realizado por MSF nos projetos desenvolvidos na África do Sul, Lesoto, Malauí e Moçambique indica que 70% dos infectados com o vírus HIV, não têm acesso à terapia por falta de médicos e enfermeiros. Nesses países, MSF oferece tratamento para cerca de 30 mil pessoas.
Atualmente, MSF oferece tratamento com anti-retroviral a mais de 100 mil pessoas em 32 países. Do total de pacientes que recebem tratamento, 7% são crianças.

> Líbano
Desde a sua criação, em 1971, Médicos Sem Fronteiras atuou em dezenas de conflitos armados, de diversas magnitudes. Hoje, além do Líbano, MSF tem equipes trabalhando em conflitos da Colômbia, Uganda, Darfur (oeste do Sudão), Somália, Palestina e outros.

> Indonésia
MSF presta assistência à vítimas de catástrofes naturais no Pacífico. A atuação foca em saúde mental, melhoria das condições de higiene e saneamento e distribuição de kits de primeira necessidades.

> Colômbia
Médicos Sem Fronteiras (MFS) começou a trabalhar na ala da maternidade do Hospital San Francisco de Assis, em Quibdó, em 2005.
Em um período de cinco anos, com investimento em infraestrutura, equipamento e treinamento constante da equipe local, o número de nascimentos realizados passou de mil para mais de 2,5 mil por ano, e a taxa de mortalidade materna caiu drasticamente. Em maio de 2010, MSF encerrou seu trabalho na ala da maternidade, mas o serviço continua, agora com a dedicada equipe local do hospital.

> Haiti

Médicos Sem Fronteiras (MSF) está trabalhando para conter o surto de cólera que já fez mais de 130 vítimas no interior do Haiti.
Em apenas dois dias, MSF tratou mais de 2 mil casos de diarreia aguda no país, um dos principais sintomas da doença.
A preocupação agora é com o possível alastramento do surto. Para se preparar para uma potencial emergência, um avião de carga com 100 toneladas de equipamentos médicos, água e materiais de saneamento chegará ao país.
Esse surto serve como um alerta das péssimas condições de vida que os haitianos ainda enfrentam.



. Reconhecimento:




Prêmio Nobel da Paz


"Apesar de termos recebido o Prêmio Nobel da Paz, nossa atuação não se propõe a promover necessariamente a paz, mas sim cuidar das pessoas que são vítimas,por exemplo,de conflitos." - MSF


. Seja um Doador Sem Fronteiras:
Todos os nossos recursos vêm de doações individuais ou de empresas.Por isso as atividades de captação de recursos são essenciais para a manutenção dos nossos projetos em mais de 60 países.
Sem estas doações não teríamos os recursos necessários para manter este trabalho.

Para as vítimas atendidas por
Médicos Sem Fronteiras
, toda ajuda é mais que bem-vinda.
São doações de pessoas como você que fazem a diferença entre a vida e a morte de milhares de pessoas diariamente.

Veja o que sua doação significa para nossos pacientes:

Por isso, o convocamos: Faça sua doação online (www.msf.org.br) ou ligue para 0800 941 0808.
Seja um Doador Sem Fronteiras
e participe desta causa humanitária!!!!




15 comentários:

Anônimo disse...

Olá meu amigo!!!!!

Agradeço enormemente a sua parceria nesta divulgação...
Sou muito grata por sua amizade e carinho!!
Conte comigo sempre...

P.S:Adorei o vídeo! =)

Bjs,
Thaísa Figueiredo

Flávio Nunes. disse...

Olá Thaísa,
Isso é o mínimo que posso fazer para divulgar o trabalho do MSF!
Mais uma vez eu agradeço muito a sua amizade e a sua participação no Blog!..rs..
Abração minha amiga,
Flávio Nunes.

Anônimo disse...

Thaísa,

Parabéns pela iniciativa e pela seriedade de seu texto.

Cid

Karlla Patrícia disse...

Que leitura agradável... Parabéns. Fiquei encantada pelo trabalho dos MSF111

Antonio de Aruanda disse...

Isso é Amor Incondicional - estou emocionado!

Flávio Nunes. disse...

Olá Cid,
Obrigado pela atenção e pelo comentário! A Thaísa é uma pessoa muito especial e dona de um grande coração! Certamente ela ficará muito feliz em ler o seu comentário!
Abração,
Flávio Nunes.

Flávio Nunes. disse...

Olá Karlla,
Obrigado pelo atenção e pelo carinho! Agradeço ainda pelo comentário! As "portas" do Blog estarão sempre abertas, apareça quando puder e quiser..rs..
Abração,
Flávio Nunes.
PS: O trabalho dos MSF é surpreendente mesmo! O melhor de tudo, que é uma iniciativa independente de orgãos governamentais!

Flávio Nunes. disse...

Olá Antônio,
Mais uma vez agradeço a sua presença aqui no Blog! Ao descobrir, nem que seja um pouco, sobre o trabalho dos MSF não tem como não se emocionar! É algo surpreendente!
Obrigado pela atenção e comentário!
Abração,
Flávio Nunes.

Anônimo disse...

Sem palavras...
Parabéns pelo texto Thaísa!!
Obrigado por me proporcionar a oportunidade de conhecer este grande trabalho da organização MSF.
Tenho certeza que todos que agora conhecem,poderão colaborar para a continuidade do projeto.

Everton G.

Anônimo disse...

Infelizmente eu acho que organizações como essa e tais atitudes servem para tirar o peso do governo, ou seja, não faz mal se os governos não fazem nada, afinal, tem os bobocas dos médicos sem fronteiras que vão lá fazer por nós...isso é minha opinião e a do Dr House(mesmo sendo fictício) não teve influencia nenhuma sobre ela...

Anônimo disse...

SEI LÁ
MAS THAYSA É D+++
SEMPRE TÃO INTELIGENTE E NOBRE COM AS PALVRAS
APRENDI MTO COM ELA.
PARABENS THAYSA, CONTINUE SEMPRE ASSIM
BJAO LINDAAAAA
SEU SUPER FÃ E ADMIRADOR

Anônimo disse...

Olá meu amigo!!

Estou passando para ver a opinião das pessoas e poder mostrar meu ponto de vista...

Agradeço ao Cid e ao Everton pelo carinho.
Aos demais por terem lido a matéria.

Aos anônimos,

Esta organização existe para suprir o descaso dos chefes de Estado;a intervenção só existe porque o governo já não pode ou não quer fazer nada...infelizmente não entendi seu ponto de vista,mas respeito sua opinião e a do Dr.House.rsrs

Ao meu fã e admirador,obrigada...apesar de não saber quem é.

É isso,bom saber mais sobre o que vocês pensam...

Flávio,o que você está achando?? =)

Bjs meu amigo,
Tenha um bom dia!!!!!!!

Thaísa Figueiredo

rodrigo disse...

Fico feliz que pessoas se preocupem com as outras nos dias de hoje onde a hipocrisia já faz parte da sociedade, onde ninguém pensar em doar um pouco de si para os próximos, dedicar seu tempo em pró do beneficio alheio.
servir é se tornar melhor, como grandes mestres nos ensinaram e ainda ensinam...

Agora fica uma pergunta, vi os valores das doações, porém dificilmente um numero grande de pessoas iria doar um valor não tão baixo principalmente para a maioria dos Brasileiros, fica a minha duvida, os recursos que eles utilizam para trabalhar e levar seu conhecimento a lugares que precisam vem de "contribuições privadas" seriam estas grandes empresas ou pessoas que possuem um grande capital a alimentam estas fundações?

O texto esta ótimo mostra de forma clara o que é o MFS, parabéns para o colega Flávio Nunes e a amiga Thaísa Figueiredo, com quem venho trocando algumas idéias, uma ótima pessoa sem duvidas!

Rodrigo da Silva

Anônimo disse...

Olá Rodrigo,

Agradeço seu carinho e atenção ao vir expor seu ponto de vista.

Concordo com você,o mundo está cada vez mais capitalista,as pessoas se empenham em buscar o seu bem-estar próprio e ignoram os problemas da sociedade.
Ajudar o próximo em todos os sentidos,é um ato cada vez mais raro...sem demagogia!

Bom,respondendo a sua dúvida, a organização Médicos Sem Fronteiras é sustentada em grande parte por contribuições privadas; internacionalmente,os fundos privados representam mais de 85% dos recursos disponíveis, com o restante originário dos fundos institucionais.
Sobre a colaboração individual,o mínimo é de R$10,00 ,como você pode ver no site; o que na minha opinião é relativamente baixo para um país emergente como o Brasil,com uma economia em crescimento - em que o salário mínimo está em R$510,00 - Por ser uma organização internacional,abrange vários países,por isso a arrecadação não se concentra só aqui.Mas toda ajuda é válida.

Espero ter respondido,rsrs.

Thaísa Figueiredo

Anônimo disse...

MSF são a maior organização não-governamental do mundo!!!
Fantástico!!

Postar um comentário

Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...