segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Um Mundo Diferente!

As vezes, as pessoas não me entendem e sinto como se o mundo em que vivo fosse uma terra estranha e hostil. Falo e parece que ninguém escuta, bato e as portas não se abrem. Num momento de desespero grito, pulo e gesticulo o mais freneticamente possível. Como resposta, os outros, dentro das suas luxuosidades e de suas rotinas, olham-me torto e exclamam: "Calem este louco, ele não sabe o que diz e nem o que faz"!

Fartei-me de tentar passar no concurso do "sistema" e ser reprovado por justa causa! Não me enquadro, não me encaixo. Mas sou bom ator! "Engano" muito bem (risos)! Acho que se fosse me candidatar talvez fosse eliminado antes mesmo de saberem meu nome. Se fosse famoso, talvez ganhasse as eleições, mas iriam querer-me calado e numa sala lá no fundo do corredor a direita, ao lado daquela porta sem placa de identificação. Talvez eu ficasse rico e trabalharia pouco; quem sabe! Meu silêncio pode valer muito.

Falo coisas desconexas. Falo tanto e disso tudo, poucos ouvidos tenho a meu favor. Poucos são os que entendem meus signos, meus sentimentos, minhas nuances, minhas impulsividades, minha vontade de viver e justificar o que está certo e errado! O que está certo e errado? Nem eu mesmo sei mais. Perdi-me em alguma encruzilhada a alguns anos. Hoje sigo meu caminho ao léu e sou feliz assim. Estou próximo o suficiente para "atuar", mas longe o suficiente de me contaminar.

Tenho medo de viver, para sempre, uma vida, exilado dentro de um mundo que também é meu, mas que não me pertence, cheio de pessoas que não me compreendem. Me disseram certa vez que "ter medo" é ruim, coisa do diabo, o correto é dizer: "Tenho uma dificuldade passageira"! Até que acho legal pensar assim, mas minhas emoções ainda não se convenceram disso completamente. Enquanto permaneço no meu "exílio" dentro em mim, sigo adiante com força total, lutando contra a corrente que sisma de me levar a seu favor, para um lugar que eu mesmo nem sei onde vai chegar. Prefiro caminhar com minhas próprias pernas! Tenho pernas curtas, mas são fortes e resistentes. Sei onde quero chegar, mas não sei como! É diferente pensar assim, mas tudo bem, eles não ligam mesmo (risos)! Ou melhor, só ligam quando incomodo. Se permaneço latente, para eles está tudo bem!

Um dia quem sabe, abrirei meus olhos, numa manhã ensolarada de outono ou primavera, e verei um mundo diferente. Um mundo onde pensar diferente não é sinal de estar errado, um mundo onde posso amar à minha maneira sem medo do meu amor ser visto como "menos amor", um mundo onde um cão é apenas um cão e humanos são apenas humanos, um mundo que de tão belo não veja diferença em tanta igualdade.

6 comentários:

Diniz disse...

Muito bom!

Flávio Nunes. disse...

Olá Diniz,
Obrigado pelos seus comentários (Aqui e no Twitter)!
Tenha uma excelente semana!
Abração,
Flávio Nunes.

patynh@comjesus disse...

Olá,Flávio!

Incrível texto!
Estou aqui rindo e me deliciando com tua audácia.Sim,audacioso em se expor e defender aquilo em que acredita.
Ainda ontem,estava lendo sobre Artur da Távola e lembrei-me de um texto dele,que,creio eu, tem muito a ver com este processo de interação com o mundo sem perder a essência.

Chama-se A Alma dos Diferentes.



Posto aqui um pequeno excerto para ti:

"A alma dos diferentes é feita de uma luz além. A estrela dos diferentes tem moradas deslumbrantes que eles guardam para os poucos capazes de os sentir e entender. Nessas moradas estão os maiores tesouros da ternura humana. De que só os diferentes são capazes. Jamais mexam com o sentimento de um diferente. Ele é sensível demais para ser conquistado sem que haja conseqüência com o ato de o conquistar."

Vale a pena conhecer na íntegra,caso ainda não conheça.

Um grande abraço pra ti!

Flávio Nunes. disse...

Olá Paty,

Que dizer de seu comentário?! Fiz uma humildade luta com meu ego, mas tenho certeza que mesmo rubro, suas palavras chegam até mim com total limpidez e cheias de sensibilidade.

Me disseram certa vez que para fazermos a diferença no mundo precisamos "estar no mundo, sem ser do mundo"! Interessante isso..rs.. Com o passar dos anos acumulamos "nós" (Tipo aqueles feitos em fios ou cordas e não no sentido de coletividade), em nossas vidas e isto nos faz criar laços com uns e outros, alguns permanentes, outros nem tanto! O mais importante é que, mesmo inconscientemente, colhemos tudo quanto é melhor para nós, individualmente. Alguns permanecem assim, outros preferem compartilhar um pouco de si com o resto do mundo! Acho que me encontro inserido dentro da segunda opção..rs..

Belo texto de Artur da Távola! Irei procurá-lo e lê-lo na íntegra! O pequeno trecho que colocou aqui já inspirou-me..rs.. Por hora, minha referência é "Das Vantagens de ser Bobo" de Clarice Lispector, se você não conhece, vale a pena ler este texto! Coloquei uma postagem aqui no Blog sobre ele..rs..

Tenha um ótimo dia!

Abração,

Flávio Nunes.

Ká Oliveira disse...

Querido... ser diferente, sempre será a opção mais inteligente!
bj grande

Flávio Nunes. disse...

Olá Ká,
Fico espantado ao verificar que a maioria das pessoas olhem mais diferenças que igualdades. Há tanta igualdade em nossas diferenças!
Obrigado mais uma vez pelo comentário, carinho e atenção!
Tenha um excelente dia!
Abração,
Flávio Nunes.

Postar um comentário

Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...