sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

"Uma Defesa do Infinito"

Enquanto esperava minha noiva, caminhei até a Cinelândia, passei pelo Teatro Municipal e ali, na praça mais específicamente, fui até o Odeon. Infelizmente o filme ainda não estava em cartaz, e no mesmo pé que fui, voltei.

Retornando, comecei a pensar no que iria fazer até chegar a hora do encontro com minha noiva. Eis que olho para o lado e deparo-me com a Biblioteca Nacional! Recordei que havia uma exposição em comemoração ao seu 200° aniversário! Foi o momento oportuno; não disperdicei-o.

Fui encaminhado ao local da exposição. La chegando, maravilhei-me! Havia corredores cheios de obras raríssimas. Vi livros, gravuras e partituras que datavam desde o século XII até os nossos dias. Vi pergaminhos e livros escritos a mão; diferentes técnicas, uma mesma intensão: registrar algo para a posteridade. Vi coisas árabes, egpcias, espanhola, portuguesa, tibetana, etc.

Os mais impressionantes são os documentos mais antigos, alguns com 200 ou 300 anos, entretanto em tão bom estado de conservação, que parecia ontem a sua impressão e publicação. Autores dos mais variados e campeões de vendas de todos os tempos.

Vi cada ítem em detalhes, tendo minha visita ultrapassado a casa dos 60 minutos. No livro de registros assinei meu nome na linha 5093. Eis o número de visitantes até o momento, o que acho impressionantemente pouco, em vista que este acontecimento único começou em 03 de Novembro de 2010 e vai até 25 de Fevereiro de 2011.

Tamanha era minha alegria e euforia que voltei a entrada principal da Biblioteca, segui novamente até a recepção e lá informei-me: "Com licença, como faço para registrar um original"? No que a recepcionista me deu um papel, com pouco mais de 5 x 5 cm, contendo a informação que eu tanto queria naquele momento.

Saí dali convicto que 2011 é o ano da realização de uma obra literária pessoal. Um romance talvez!

2 comentários:

* verinha * disse...

Imagino mesmo que deva ter sido um passeio incrível.. É uma pena que são raríssimas as pessoas que possuem o interesse pela cultura e pelo conhecimento do passado.. se esquecendo que é através dele é que poderemos entender nosso presente. Hummm.. então teremos uma obra literária a caminho?... Fico feliz em saber desse seu novo projeto.. ahh que vou querer um exemplar autografado viu? [:)]

Super beijoca em seu coração Flávio!

*verinha*

Flávio Nunes. disse...

Olá Verinha,
Vou lhe confessar algo, mas que isso fique só aqui..rs.. Até o último ano do "antigo" segundo grau, eu literalmente achava a disciplina de História insuportável..rs.. Hoje sou um amante incondicional!
Não gostava de ter que decorar datas, fatos, nomes, etc... Não entendia o motivo de tamanha "falta do que fazer"! "Para quê estudar o passado, já foi"! Assim eu pensava e falava.
Mas as coisas mudaram no último ano e na preparação para o vestibular. E tudo começou com a junção de uma ótima professora com a minha vontade de escrever..rs.. Eu simplesmente entendi o que antes não fazia nenhum sentido para mim!
Entendi que para vivermos bem o momento presente e galgar patamares mais elevados no futuro, devemos, na melhor das hipóteses, não cometer os mesmos "erros" do passado! Se desejamos criar algo novo e que pode mudar a vida da humanidade, devemos verificar se este algo é realmente autêntico e novo. A única maneira de descobrir é verificando o passado! Imagine se eu quisesse criar uma nova forma de métrica poética, um novo aparelho tecnológico, uma nova forma de se trabalhar a dialética, uma nova forma de criar flores ou quem sabe discutir o futuro dos animais e seres humanos. Quem conhece a história sabe que muito já foi visto, estudado, discutido, analisado, refletido, escrito e colocado em prática sobre estes vários temas! Há uma teia de relações riquíssima que sustenta tudo isso e que, só ela, é capaz de dar margem na geração e criação no novo.
Desculpe a minha breve reflexão sobre o tema, mas ainda estou sob efeito da exposição..rs..
Sim, estou trabalhando para que o original fique pronto ainda este ano! Quem sabe no fim do ano ou para 2012 ele já esteja nas livrarias?!..rs.. Vale a pena tentar..rs.. Quanto ao seu exemplar autografado, nem precisava pedir..rs..
Obrigado mais uma vez sua atenção e carinho!
Abração,
Flávio Nunes.

Postar um comentário

Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...