segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

É Médico e Veterinário!

- Pessoal - começou o professor -, acho que um bom caminho para todos nós seria começarmos com as nossas tradicionais apresentações. Como aqui tem gente de todos os cantos e profissões, acho que será interessante apresentarem-se primeiro por profissão, só para eu saber a quantidade de cada uma e conduzir melhor a nossa primeira aula. Tudo bem?

Todos concordaram com a cabeça. Alguns ajeitaram-se melhor nas cadeiras e outros permaneceram estáticos olhando para frente com uma cara de "vamos lá idiota, não tenho o dia todo para ficar aqui escutando ladaínha"!

- Percebi que a turma, em sua maioria é composta por médicos. Gostaria de saber aqui quem são os médicos, podem levantar a mão por favor?

Haviam na sala trinta alunos, sendo treze médicos, seis enfermeiros, cinco fisioterapeutas, três assistentes sociais, dois pedagogos e um médico veterinário. Ao desferir a pergunta, quatorze braços levantaram-se, no que o professor achou estranho, já que em sua lista haviam treze médicos.

- Acho que a direção enviou a lista faltando uma pessoa. Disse isso ao mesmo tempo que recontava os alunos. Os números não batiam e fez algo que ficou para sempre marcado em sua vida:

- Vou chamá-los pelo nome e assim confiro se está tudo correto!

Assim começou a chamar um por um. No fim os nomes batiam com os que estavam na lista, mas e aquele "um" que faltou.

- Com licença Dr., meu nome é Flávio e gostaria de dizer que o senhor não disse o meu nome.

- Mas não há nenhum Flávio na listas dos méd..... Interrompeu a fala e descobriu o que estava errado. Flávio era o nome do Veterinário.

- Desculpe-me a indelicadeza, mas é que o senhor é veterinário e pensei que entrava em outra categoria! Mal disse isso e um dos alunos intrometeu-se:

- Claro que entra em outra categoria, ou o "Doutorzinho" dos bichos acha que pode se equiparar com os verdadeiros Doutores? Disse aquele que estava com cara de "Vamos lá seu idiota", no início da aula.

Com uma leve risadinha, Flávio respirou fundo e disse as seguintes palavras:

- Desculpe se ofendi alguém, mas acredito que sou tão médico quanto qualquer um dos treze que se encontram dentro desta sala. Se não o fosse, minha faculdade não se chamaria MEDICINA Veterinária. Acho que o Veterinária vem, na realidade, para mostrar que estudamos e precisamos conhecer e tratar mais de uma espécie.

- Você está nos equiparando a bichos? Disse o médico que comprou a discussão. Com o ego ferido, começou a atacar o veterinário:

- Desculpe-me "amigo", mas por ordem de importância, a medicina é muito mais importante que a veterinária. Nos especializamos e cuidamos de doentes que possuem uma ligação muito grande com seus entes e familiares. Nada comparado com a sua veterinária!

Flávio ouviu aquilo, refletiu um pouco e desferiu seu contra-argumento:

- Nada do que me diz é novidade. Na Medicina Veterinária, temos todas as especialidades que hoje existe na medicina humanas, e outras tantas direcionadas a animais, cuja anatomia e fisiologia, são distintas do humano. Sobre importância dentro da família, os animais hoje em dia ocupam o status de membros da familia e não mais o de um "bichinho" para alegria de todos. Com sua perda, o sofrimento é tão grande quanto o de qualquer familiar que se vai. Disse tudo isso sem aumentar o tom de voz, enquanto o outro já estava ficando vermelho de raiva e visivelmente alterado.

- Ainda assim, não se compara. Existem coisas que só aplica-se aos humanos e ponto.

- Concordo contigo! Como existem coisas que só se aplicam aos animais. A dificuldade é que existe uma coisa que se aplica a todos os humanos, enquanto com os animais, dependendo do tamanho, anatomicamente falando, existe um tipo de material clinico, por exemplo, para cada taxón. Ainda mais te digo, dentro de cada táxon, pode ocorrer variações e aí a coisa complica-se mais.

O médico estava ficando realmente muito nervoso ainda mais por acabar de descobrir que não fazia a menor idéia do que era um "táxon"! Não tinha contra-argumento sobre isso e saiu pela tangente.

- Você se acha muito esperto não é "Doutorzinho" dos bichos! Então gostaria de lhe propor um desafio, acha-se capaz de aceitá-lo? Disse o médico com toda a arrogância que pode existir dentro de um ser humano.

A última coisa que Flávio gostaria era expor-se e expor qualquer um de seus colegas, mas a "briga" estava comprada e agora tinha que ir até o final. Mas não queria prolongar aquilo por muito mais tempo, pois enquanto discutiam o professor aguardava para iniciar a aula.

- Aceito sim, mas sejamos breves por favor, pois estamos perdendo um tempo precioso aqui! Disse ainda em tom suave e sereno.

- Tudo bem, não vai demorar mesmo - Disse isso, com um sorriso nos lábios e com ar de superioridade. O desafio é o seguinte: Imagine que chega em seu consultório um paciente com dificuldades para respirar, secreção nasal, tosse e na auscultação pulmonar você descobre que ele está com edema pulmonar. Qual o diagnóstico você daria para este paciente "Doutorzinho"?

Flávio abaixou a cabeça, pensou um pouco, levantou-a em seguida e olhou em direção ao seu "carrasco", proferindo estas palavras:

- Sintomatologia pulmonar, interessante! A principio podem ser várias coisas, mas vou ater-me as patologias mais comuns. A primeira delas e mais obvia, num primeiro momento, e bronco-pneumonia. Entretanto, esse edema pulmonar pode estar relacionado a complicações cardíacas.

Ao falar isso o médico perdeu completamente as forças das pernas e sentou-se na cadeira. abriu bem os olhos e começou a suar.

- Tomemos o cão como exemplo, poderia ser qualquer outro mamífero, mas o cão é mais acessível e de fácil compreensão. Existem alguns que por pré-disposição, associado a dieta irregular, produzem uma quantidade muito grande de tártaro. Sabe-se, e isso existe descrito na literatura científica, que animais com muito tártaro, pode de médio a longo prazo, ao longo da vida, desenvolver complicações em várias partes do corpo, contudo as área de maior aparecimento de problemas, associado a periodontite, são coração e os rins! Sendo assim, não descartaria a possiblidade desse paciente ser um cardiopata e quem sabe um nefropata, se for humano e tiver mais de sessenta anos de idade. Às vezes mais novo, às vezes mais velho. Você sabe que biologia não é matemática, se fosse uma ciência exata não seria classificada como biológica. Disse isso e deu uma leve risada para descontrair.

O médico que desferiu o desafio estava mudo e continuava suando. A sensação que todos tinha agora era que ele estava se afundando na cadeira.

- Só para concluir, acredito que neste tipo de caso, não é conveniente ater-se apenas à sintomatologia clinica e medicar o paciente sem verificar o organismo como um todo. É lógico que precisamos tirá-lo da crise, e por isso um mucolítico e um diurético osmótico é bem vindo, entretanto o broncodilatador precisa ser utilizado com cautela, já que muitos provocam alterações cardíacas. Quanto aos exames complementares, acredito que seria interessante fazer um raio-x de tórax, no mínimo duas incidencias, realizar um exame de sangue para verificar, além do hemograma, a Função Renal e a Função Hepática. É sempre bom verificar se as funções metabólicas estão bem. Se quiser, pode-se fazer outras dosagens enzimáticas, mas tudo depende do quadro clinico e das informações que foram coletadas na anamnese. Por fim, fecha-se o diagnóstico com um Eco e um Eletro-cardiograma.

Todos escutavam o medico veterinário falar com atenção e lamentavam o outro ter instigado e comprado a briga. Eram unânimes os olhares e o comportamento dos outros alunos. Todos pareciam dizer: "Não gostaria de estar na pele do nervosinho ali"!

- Agora se nada disso for compatível com o que estamos procurando, abrimos outra linha de pensamento e verificamos traquéia, se há ou não alguma massa tumoral, etc, etc, etc. Se possível tudo isso deve ser feito dentro de vinte e quatro horas, o que hoje em muitas clínicas e hospitais veterinários já é uma realidade! Antes que eu esqueça, basta ter coração parar desenvolver uma cardiopatia, entretanto a forma de tratar é diferente, em alguns pequenos aspectos, para um réptil, uma ave e um mamífero. No mais, conversamos a "mesma lingua"!

Quando o médico veterinário acabou de falar, todos estavam mudos e o "Dr." que havia comprado a "briga" estava "derrotado" sobre sua cadeira. Não tinha mais argumentos e viu-se completamente sem energias. Levantou-se devagar e seguiu em direção á porta da sala.

- Onde vai, vamos começar a aula agora? Disse o professor parar o médico que saia à passos lentos da sala de aula.

- Vou tomar um café e respirar um pouco. Pode iniciar a aula, já retorno. No que o professor concordou com a cabeça!

- Professor, só por curiosidade, qual é a especialização do nosso amigo que acaba de sair? Perguntou Flávio.

Olhando na lista com os nomes dos alunos e professor falou: Ele é cardiologista!

O médico veterinário ficou feliz por ter atingido seu objetivo e acertado em seu diagnóstico. Quisera passar desapercebido, mas numa turma de mestrado, onde todos estavam cursando pela primeira vez o Stricto Sensu, ele era Doutor em Fisiologia Animal Comparativa e este era seu segundo mestrado. Queria este, antes do Pós-Doc na europa.


Foto: http://www.fotocomedia.com/artigos/fala-com-a-minha-mao.html

9 comentários:

Carmen Regina Dias disse...

hehe!!!

Se náo fosse a ausëncia das palavras, nessa hora, eu náo teria escrito > Estou vingada!
Teria outros termos mais de acordo com a poeta,
mulher, mãe, gente do povo.

Mas, vá lá > quem já assistiu ao filme Terráqueos? http://video.google.com/videoplay?docid=-239204330856039070#docid=-1717800235769991478


eu náo consegui assistir por inteiro.

Nossos amigos, nossos irmáos, nossos protetores nas dimensóes sutis > nossos compatriotas terráqueos.

Sonho com um planeta onde os homens laboram, e os animais pastam tranquilos pela superfície da
pátria.

Ká Oliveira disse...

Flaaavio!!
Muito bom... tenho um lema, vou escreve-lo aqui, mas não se ofenda pelas chulas palavras...hahaha
mas... quem tem medo de cagar, não come...
Grande abraço!
karina

Flávio Nunes. disse...

Olá Carmen,
Fiquei muito feliz que tenha se identificado com o texto! Eu já assisti, ou melhor, já vi boa parte do documentário "Terráqueos"! Assim como você, não consegui assistir completamente! Compartilho contigo o sonho de um dia ver o direito dos animais serem respeitados em totalidade e honestidade.
Tenha uma ótima semana!
Abração,
Flávio Nunes.


Olá Ká,
Obrigado pelo seu comentário e por dividir conosco o seu lema..rs.. Não quero tornar-me repetitivo escrevendo-o novamente aqui..rs.., mas concordo contigo, quanto a mensagem que ele porta!
Grande abraço e uma ótima semana!
Flávio Nunes.

Herval Junior disse...

Parabéns pela crônica. Se fosse menor o texto, diria tratar-se de uma Parábola. Conheça então, minha filha, a @blogdaliza (uma cadela Shih Tsu linda ) .
Quanto ao "Projeto Veterinários da Paz", se precisar de algum tipo de ajuda,apesar da falta de tempo, contate-me.

Um grande abraço, Flávio.

Flávio Nunes. disse...

Olá Herval,
Obrigado pela sua passagem pelo Blog e pelo seu comentário!
Quanto aos twitters, já estou seguindo-os!
sobre o "Projeto Veterinários da paz", agradeço desde já a sua ajuda e disponibilidade, dentro do tempo que tem..rs.. Tudo está sendo desenvolvido aos poucos e a intenção é que nenhum animal fique desamparado, sendo nossa meta o trabalho com animais de bairros carentes!
Assim que alguns passos forem dados, entro em contato novamente! Mais uma vez, obrigado pela ajuda!
Tenha uma ótima semana!
Abração,
Flávio Nunes.

Elvira disse...

Flávio,
Irei começar a cursar veterinária em breve e fiquei muito feliz em lê seu texto. MUITO bom mesmo.
Parabéns!
Beijos
Elvira

Flávio Nunes. disse...

Olá Elvira,
Primeiramente, parabéns por escolher a faculdade de Medicina Veterinária! Fez uma ótima escolha!
Muito bom saber que ficou muito feliz em ler o meu texto e que o achou MUITO bom..rs..
Este texto contem fatos verdadeiros e ficção. Saiba que esta é só uma parte da Medicina Veterinária, na realidade as opções são muitas, você vai descobrir..rs..
Tenha uma ótima tarde!
Abração,
Flávio Nunes.

fabiana disse...

Faço Veterinária e achei seu texto fantástico!

Flávio Nunes. disse...

Olá Fabiana. Obrigado por escrever e parabéns por cursar Medicina Veterinária!!!

Postar um comentário

Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...