segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Vida a Dois!

Olá Pessoal,

Estou com dois projetos literários em pleno desenvolvimento, mas não posso evitar as novas idéias! Estava ontem, voltando para casa, vindo do plantão e pensando numa nova história. Me veio e invadiu meus pensamentos num brainstorm magnífico! Para não perder a ideia a coloquei aqui. Espero que gostem!

Abração,

Flávio Nunes.


Vida a Dois

          - O que você está fazendo aí? Já disse que não era para jogar isso no chão? Tudo bem, tudo bem... sei que não foi por querer. Venha cá e me dê um beijo.

          A vida de Frank era muito boa para um homem de trinta e cinco anos. Trabalhava numa empresa que o reconhecia e executava um tipo de função almejada por muitos amigos. Por exercer um bom trabalho, seu posto não corria o risco de ser abalado e seu salário quase sempre vinha acrescido de um bônus. O que muito lhe agradava e o motivava mais e mais. 

          Tudo estava indo muito bem até que sua relação em casa começou a ficar difícil. Na verdade nunca fora muito fácil, já que passava longas horas trabalhando e quase não dava atenção a sua filha. Sua única filha. Ela já estava com oito anos e voltava a ter atitudes tão estranhas quanto as que tinha nos primeiros três anos de vida. Recusava-se a falar e dar atenção. Deixava tudo fora do lugar, passou a destruir os móveis dentro de casa. Não era raro Franck chegar em casa e ver um novo buraco no sofá, ou potes jogados pelo chão. Para não ter maiores aborrecimentos, passou a relevar os estragos nos móveis e recolhia, silenciosamente, toda a sujeira deixada por ela durante o dia, na sua ausência. 

          - Você está ficando muito rebelde! O que está acontecendo com você? Não entendo por que está fazendo isso! Trabalho para mim e por você; para te dar todo o conforto possível! Não tem do que reclamar, tem tudo que precisa e deseja. Tem horas que acho que estou falando com as paredes.

          Não adiantava falar, por mais que tentasse, ela simplesmente não respondia. Olhava-o e agia como se não fosse com ela. No começo isso era muito relevante, mas com o passar dos dias, semanas e meses, essa relação o estava sufocando. Ela cada vez mais distante e ele, nosso pobre Frank, dividido entre seu trabalho e a situação familiar. 

          Ele fazia tudo em casa. Deixava tudo organizado, comida preparada, banheiro com papel, lixos limpos, fios em locais de difícil acesso e tomadas tampadas. Era um pai zeloso e muito atento. Mas sofria sozinho, escondido, trancado no seu quarto. A medida que o tempo passava, mais estava difícil conviver com alguém que não lhe dirigia a palavra. Mas em cada manhã procurava recomeçar, tentava deixar suas dores em casa e ia para o trabalho fazer o melhor que podia. Muitas vezes, pensava egoisticamente, que permanecer por mais tempo no trabalho era melhor que estar em casa com ela. Mas lembrava que ela era completamente dependente da sua presença e precisava de sua companhia. Assim, voltava todas as noites para junto da sua única companheira, sua filha Julie. 


8 comentários:

to-deolho disse...

Caro Flávio

Ser Pai não é apenas ser Provedor e deixar tudo que é material na ordem do dia mas fazer o caminho de verdadeiro Pai: amor, carinho e saber definir um olhar de SOS dos filhos.

Marisa Cruz

Théo Iemma disse...

Perfeito!

Ká Oliveira disse...

Anjo...
Mais detalhes por favor... a mãe? como ela se foi? quais os sentimentos individuais de cada um... já disse que o Frank é um pobre..rsrs e a Julie? muito novinha pra tanto..ui.. já estou ansiosa.
bj grande

Flávio Nunes. disse...

Olá Marisa,

Obrigado pelo seu comentário! Mas preciso dizer que Frank está perdido, ele não sabe o que fazer! Ele precisa trabalhar, mas vê que está perdendo o controle dentro de casa! Ele vai encontrar o seu caminho e Julie vai entender qual o seu lugar no meio disso tudo! Ambos precisam se entender mais!

Abração e tenha uma ótima semana!

Flávio Nunes.

Flávio Nunes. disse...

Olá Théo,
Obrigado pela sua palavra!
Tenha uma ótima semana!
Abração,
Flávio Nunes.

Flávio Nunes. disse...

Olá Ká,

Aguenta a ansiedade..rs.. Frank e Julie tem um relacionamento difícil e muitas coisas aconteceram em suas vidas ao longo dos anos! Eles terão que se entender melhor, mas Frank precisa melhorar em muitos aspectos. No próximo texto falarei sobre a mãe de Julie! Sobre os sentimentos de cada um, contarei aos poucos, a medida que começarem a se conhecer melhor!

Obrigado pelo comentário minha amiga! Tenha uma ótima semana!

Abração,

Flávio Nunes.

Mário disse...

Caramba Flávio legal!

Interessante isso de não desanimar e continuar a fazer as coisas da maneira que você acha mais certo, mesmo vendo que as coisas não estejam indo como você gostaria.
Mas o amor heroico deixa tudo para ir atrás daquela pessoa que ama. Torço para que o pai entenda isso!

hehehe Falow

Flávio Nunes. disse...

Olá Mário,
Que felicidade receber o seu comentário! Ainda tem muita história entre Frank e Julie. Frank vai entender a conviver melhor com Julie ao longo do tempo, mas adianto que será um pouco difícil para ele!
Acompanhe a história pois muitas coisas irão acontecer!
Abração irmão,
Flávio Nunes.

Postar um comentário

Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...