segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Carlos Drummond!

Olá Pessoal,

Aproveito os últimos minutos desse dia para fazer uma dupla homenagem. A primeira é a um dos grandes gênios da literatura nacional. Se vivo, Calos Drummond de Andrade completaria hoje 109 anos de idade. A segunda homenagem é para minha esposa.

Posto a seguir um vídeo com o texto "Quando encontrar alguém", de Drummond. Desejo que gostem.

Abração,

Flávio Nunes.


domingo, 30 de outubro de 2011

Brevidade da Vida!

Hoje, ao sair do plantão e de uma sequência de 24h de trabalho, indo para casa, deparei-me com uma cena chocante. Um acidente de carro.

Ao passar por uma rua, vi um movimento incomum. O ônibus reduziu a velocidade e ao chegar próximo ao lugar do acidente, pude ver o que acorreu. Um carro, perdeu o controle numa curva bem fechada e foi de encontro à traseira de um ônibus que estava parado no ponto.

Vi um carro do corpo de bombeiros, uma viatura da polícia, várias pessoas olhando o ocorrido, um pouco distante estava uma equipe de jornalistas e a cena mais marcante, um jovem e uma mulher de meia idade sentadas à beira da calçada, ao lado do corpo que estava no chão, coberto por um plástico preto.

Pensei, naquele instante, sobre a brevidade da vida, sobre a imprudência, sobre defeito no carro, sobre velocidade, sobre dor, sobre trauma, sobre amor de mãe, entre outras tantas coisas.

Chove lá fora e penso na dor da mãe ou do pai daquele que estava sob o "manto negro". O tempo lá fora reflete o que se passa no coração de quem sofre a perda de um ente querido tão prematuramente. Independente de qualquer coisa, foi mais uma morte no trânsito, numa manhã de Domingo. A única coisa que veio-me naquele instante foi fechar os olhos e rezar pelo que se foi e pelos que ficaram.

Não levou mais que um minuto a minha passagem pelo local, segui em frente e cheguei em casa em segurança. Fui recebido pela minha esposa com um belo sorriso nos lábios. Meu coração enterneceu-se.


Foto: http://www.pregadoresdoreino.com/blog/2007/12/14/pedidos-de-oracao/

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Aulas Particulares (On-line) de Criação Literária!


AJUDEM A DIVULGAR!!!!!!!

Olá Pessoal,

Depois de tanto pensar, tive uma idéia. A pergunta que me fiz foi a seguinte: Como conseguir uma renda extra, fazendo algo que eu gosto, nos meus horários vagos? A conclusão que cheguei foi: Ministrar aulas particulares de Criação Literária! Decidi apostar na idéia e agora resta saber se haverão interessados.

As aulas serão ministradas via Skipe ou MSN, em horários pré-estabelecidos. É uma aula particular como outra qualquer, no entanto usarei os recursos tecnológicos em tempo real, o que pode ajudar muito no decorrer do aprendizado.

PÚBLICO ALVO: Crianças, adolescentes e adultos;

TEXTOS TRABALHADOS: Crônicas, contos e fábulas (Eventualmente posso trabalhar o aprimoramento de redação para pré-vestibulandos ou outros interessados).

O valor por uma hora de aula será R$ 50,00, ou ainda, há possibilidade de pagar um pacote de quatro aulas por R$ 180,00.

Todos que desejarem saber mais sobre as aulas ou agendar uma aula experimental, sem compromisso, basta enviar um e-mail para medvetfisio@gmail.com ou deixar um comentário no fim dessa postagem com nome, idade, área de interesse (Crônica, conto, fábula ou redação) e contatos (E-mail, endereço do Skipe e/ou do MSN).

Abração,

Flávio Nunes.


MINI-CURRICULUM DO AUTOR: Flávio Nunes é Escritor e Médico Veterinário. Criador do Blog Excessivamente Humano, onde, a mais de um ano, publica crônicas, contos, fábulas, entre outros textos. Duas de suas crônicas foram selecionadas para uma Antologia chamada "Cronicidade", que será publicada até o fim do ano pela Incult Produções Culturais. Recentemente está terminando seu primeiro romance, que será publicado em 2012.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Enfim, em casa!

Cansado! Eis a palavra que melhor exprimiu o meu estado ao chegar em casa hoje, no início da noite. Não é comum, mas na noite passada, no plantão, fiz 14 atendimentos. Filhotes, cães adultos e cães idosos; cistites, dermatites, gastro-enterites, lacerações, etc. Após o plantão, fui diretamente ao outro trabalho, lá fiz dois atendimentos.

Bom não foi muito para um dia, entretanto, fazendo uma média, fiz dois atendimentos por hora, numa carga horária normal de oito horas/dia. Ou seja, é como se eu tivesse trabalhado durante oito horas ininterruptas e a cada meia hora tivesse atendido um paciente.  Mas na realidade a verdadeira média é esta: Iniciei o trabalho ontem às 18:00h e parei hoje às 17:00h, ou seja, 23h de trabalho. Isso deu uma média de um atendimento à cada uma hora e quarenta e quatro minutos.

Chegar em casa, olhar para minha esposa, que veio receber-me na porta, receber seu afago, ir tomar um bom banho e jantar, era tudo o que eu mais desejava no fim de toda labuta. Todo esse cansaço é traduzido em frações monetárias, contudo, o mesmo cansado e as noites mal dormidas, não há dinheiro que page suas faltas. Assim como ser recebido pela pessoa amada em casa, com um sorriso, um beijo e um abraço - nessa ordem..rs.. -, é de proporcional ou maior tamanho, a dessincronia de valor.

Que seria do trabalho se não fosse avaliado pelo peso do amor familiar? Só isso, nesta antítese constante, é capaz de dar-me forças para continuar e fazer melhor a cada dia, por semanas, meses e anos a fio. Que o Eterno Pai dê-me forças para continuar e melhorar cada vez mais.



Foto: http://celinavasques.blogspot.com/2010/02/aconchego.html

40.000 (Quarenta Mil)!!!!!!!

Olá Pessoal,

Estou passando para agradecer a todos que ao longo do último ano prestigiaram o Blog Excessivamente Humano.

Acabamos de passar das 40.000 (Quarenta mil) visualizações. Neste momento, faltando ainda cinco dias para acabar o mês, estamos atingindo a marca das 3.000 visualizações.

Não tenho palavras a não ser a do sincero agradecimento: Obrigado a cada um por esta imensa felicidade!

Abração,

Flávio Nunes.


segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Assédio Moral = Impotência Pessoal!

Olá Pessoal,

Venho mais uma vez escrever sobre Assédio Moral. Só que agora escrevo para relatar a minha indignação e sentimento de impotência, diante de uma empresa que além de preconceituosa, considera-se impune.

A maior dificuldade de uma pessoa que sofre Assédio Moral dentro de uma empresa é a dificuldade de coletar dados que comprovem tal fato. O Assédio Moral está relacionado ao ato de denegrir a imagem do outro, considerada pelo agressor como inferior, menos favorecido e incapaz.

Uma coisa eu fico pensando: Não é incoerente um patrão, gerente ou gestor de departamento, boicotar um funcionário? Acho que esta é uma questão patológica, uma vez que o próprio empresário, maior interessado em fazer com que o seu empreendimento evolua e progrida, seja o principal responsável pelo boicote de seus funcionários.

A impunidade é apreendida muitas vezes através de palavras como: "'Sofri' muito para chegar até aqui, e não será qualquer desqualificado que irá pegar meu dinheiro"; ou ainda: "Se ele pensa que vai ganhar a causa, coitadinho; não tem como ele provar nada"!

Imagine uma funcionária que na véspera de suas férias, descobre que outra funcionária foi contratada para "ajudá-la" nos seus afazeres. Tudo muito normal, você não acha? Imagine agora que esta funcionária perca alguns dias de suas férias para ensinar a nova contratada o dia-a-dia da empresa e do RH, local onde trabalharão juntas. Tudo foi explicado, mais de uma vez, e quando começa a caminhar sozinha, enfim, os dias de férias tão merecidos.

Ao retornar à empresa a funcionária descobre que, não bastando os telefonemas recebidos durantes as férias, existem coisas "pendentes" para serem feitas e que muito de suas funções foram transferidas para a nova "queridinha do chefe". O mais legal é que os nomes foram trocados nos documentos e os projetos, que foram inicialmente engavetados, estão todos começando a andar, magicamente após a nova contratada chegar. Incompetência da funcionária anterior? Falta de conhecimentos? Incapacidade pessoal? Não sei quanto à você, mas eu acho que não; uma vez que tudo "magicamente" começou a caminhar do jeito que ela havia projetado ao longo do ano anterior.

O momento derradeiro foi, no meio do fechamento da folha de pagamentos: "Fulana, como você está aí "tranquila", bem que você poderia comprar uma coca-cola lá em baixo para nós, o que acha"? Como assim, "comprar coca-cola" no meio do fechamento de uma folha de pagamentos? Posso estar errado, mas a minha "ranzinzisse" e ética profissional (Até mesmo o instinto - dedução, intuição, etc...), me diz: Como é que posso ir comprar coca-cola para a nova gestora logo na hora do fechamento da folha de pagamentos?

Imagine agora o alívio dessa funcionária, que sofreu por quase um ano os mais diversos tipos de Assédio Moral, no auge do seu desespero faz sua carta de demissão e quando vai entregá-la descobre que é para assinar o seu Aviso Prévio! "Graças a Deus", pensa ela. Faz os exames demissionais e descobre que não pode ser mandada embora. Entretanto, não deseja ser re-contratada. O mesmo direito que a empresa possui em desejar recontratá-la, a funcionária tem de não querer voltar para o meio do ninho de cobras e voltar a sofrer com os Assédios.

O ponto derradeiro é: "Ou te recontratamos ou você terá que pedir demissão", ou seja, ou ganhamos, ou ganhamos. Lembra da impunidade que falei anteriormente? Pois é, eis as cartas em jogo.

Como dizia a minha finada avó Carmem, analfabeta, mas uma das mulheres mais sábias que já pude conviver: "O mal da raposa é pensar que o coelho tá morto"! A funcionária, na condição de "coelho", vai lutar até o final.

Constrangimento, pressão no peito, tremores musculares, vontade de chorar,... eis alguns sintomas do ato de pensar em voltar ao covil das raposas. Não sei o que você faria neste caso, mas esta funcionária é capaz de abrir mão de uma estabilidade financeira, simplesmente pelo fato de estar com medo de voltar ao trabalho. Só de lembrar tudo o que sofreu, vem-lhe lágrimas aos olhos!

Agora vem uma questão derradeira: Para uma funcionária abrir mão de uma estabilidade financeira, a empresa deve causar algum tipo de transtorno aos seus funcionários. Como ainda, até o dia de hoje, esta empresa não foi avaliada pelos órgãos governamentais competentes? Se foi avaliada, como não foi encontrado nada? Como pode ter uma rotina de contratação e demissão alta, e ninguém fala nada? Será a funcionária em questão a toda errada, a incompetente, a incapaz,...?

Não fosse a empresa em questão de advocacia, tudo poderia até ser um pouco mais fácil. Mas lidar com advogados anti-éticos e assediadores é muito difícil, pois eles sabem exatamente até quando "apertar" e não deixar vestígios. Sabe exatamente quais são os "seus direitos" e utilizam regras de retórica e argumentação muito antigas, ou seja, bem elaboradas, como o sofismo por exemplo (Manipular a verdade em prol de si mesmos ou para levar vantagens). Mas como tudo, no campo da advocacia, requer PROVAS, o Assédio Moral só denigre o lado mais frágil da corda, ou seja, a nossa funcionária. Que aqui representa inúmeros trabalhadores brasileiros, que sofrem silenciosamente dia-após-dia.

Abração,

Flávio Nunes.


Veja também: "Preconceito + Assédio Moral" clicando no link http://excessivamentehumano.blogspot.com/2011/04/preconceito-assedio-moral.html


OBS: Boa parte dos escritos é verdade e outras é ficção! Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência. 

domingo, 23 de outubro de 2011

Escrevendooo..

Sentado em minha sala, ao lado da estante de livros, após o lanche e tendo minha esposa descansando no quarto, pego-me sentando na frente do computador, procurando palavras para continuar o meu romance. Enquanto a inspiração não chega, escrevo aqui a minha inquietação, só para aquecer os dedos.

Percebo que escrever um romance requer mais que uma boa idéia. Um romance obedece uma ordem natural de fatos e acontecimentos, mesmo que ao descrever e registrar tudo no papel, isso ocorra de maneira aleatória. Entretanto uma coisa é certa, o fim sempre é uma incógnita, até o ponto derradeiro. É incrível, mesmo escrevendo em primeira pessoa, o personagem tem vida própria e não faço a mínima idéia do que vai acontecer nas próximas linhas. Isso faz meu coração disparar e angustia-me, pois quero que meu personagem faça a coisa certa, mas tem horas que coloca os pés pelas mãos e sofre retalhações severas.

Meu protagonista é inteligente, mas é também um pouco ingênuo. Quer sempre agradar e fazer a coisa certa, mas nem sempre as coisas saem como o esperado. Infelizmente ele teve a sorte de arrumar um emprego logo após a formatura, mas o seu patrão, que inicialmente aparentava ser uma boa pessoa, é um carrasco. Ele, por mais que sofra pressão, não consegue enganar os outros e nem mentir em favor de si próprio. Sua maior tristeza é seguir as ordens do chefe, quase sempre anti-éticas e imorais.

Além de tudo isso, ele precisa interagir com os outros personagens, manter o trabalho sempre fluindo bem e buscando sempre o aperfeiçoamento profissional, vindo muitas vezes dos lugares mais inusitados. Duas de suas características mais marcantes são o sorriso sempre presente e a gentileza, típica de um ser humano criado com todo amor e carinho.

Por hora é isso pessoal. Futuramente posto mais coisas sobre o andamento do meu romance.

Abração,

Flávio Nunes.

Manobrista Bêbado!

Olá Pessoal,

Excelente campanha de conscientização! Este vídeo propõe uma excelente reflexão. Bebida e direção não combinam.




Fonte: http://comunicadores.info/

Marionetes Gigantes!

Olá Pessoal,

É no mínimo, impressionante! Muito bacana.



ROYAL DE LUXE / EL XOLO from FKY on Vimeo.


Fonte: http://comunicadores.info/

Criatividade!



Intro Jade 2011 from magnetico on Vimeo.

 Fonte: http://comunicadores.info/

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Ser o que é!

Todas as vezes que alguém nos menosprezar e diz que não somos capazes de realizar algo, por sermos novos e inexperientes, isso torna-se uma grande verdade vinda de um amigo ou uma grande mentira vindo de um invejoso. Somos capazes de tantas coisas e nem se vivêssemos por mil anos, conseguiríamos preencher todas as nossas lacunas.

O homem não é um fim em si mesmo. Temos um potencial infinito de possibilidades, bem na altura e alcance de nossas mãos. Basta termos coragem para dar o passo adiante, o seguinte e assim por diante.

Quem disser que você não é capaz é um grande mentiroso e infeliz, pois tenta tirar dos outros aquilo quem em seu coração não existe mais, ou que nunca existiu.

Assim como grandes potencias da antiguidade ruíram e se acabaram, também o homem pode ruir e se acabar; afinal, um está contido no outro. Apesar da pouca idade já vi milionários rastejando em busca de migalhas de felicidade e paz de espírito. Em tamanha proporção, já vi gente muito pobre, regozijando-se com a mesma felicidade e paz de espírito.

O mais importante em cada indivíduo é, custe o que custar, sermos o que somos em cada segundo de nossas vidas. Saiba que se hoje eu escrevo e você lê, é sinal que em nossos passados, uma pessoa, um casal, uma família, um bairro, uma sociedade,... tomou uma atitude positiva diante da vida.

Cada ser humano é, em última instancia, o "acreditar que um futuro bom é possível". O mal é incorporado no caminho, o desvio para o fundo do poço é construído quando as boas opções são escondidas dos nossos olhos. Mas isso não quer dizer que o bem deixou de existir e muito menos que as boas escolhas se extinguiram. Apenas fomos enganados ou nos deixamos ludibriar.

A saída é não acreditar nos mentirosos e dar ouvidos a quem nos ama de verdade. Como? Entenda a si mesmo(a), só assim poderá entender o mundo à sua volta.


Foto: http://noticias.r7.com/blogs/julio-cardozo/tag/felicidade/

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Na Língua dos Homens!

Quisera eu ter o dom de falar a língua dos homens. Seria tão mais fácil fazer-me entender, sem rodeios e sem complicações. Poderia fluir com meus escritos, numa sucessão constante de palavras e emoções. Todos poderiam deliciar-se com simples expressões, emaranhados de letras e fonemas; quem sabe até com rimas. Mas se um dia falei tal língua, hoje porém perdi o jeito.

Séculos se passaram e cá estou eu com a caneta na mão e um papel em branco diante dos olhos. Ambos prontos para criar um mundo completamente novo, entretanto, nada. Perdi o jeito nas últimas décadas. Tenho me esforçado, pensando até demais. Vez ou outra um insight, contudo nada significativo. Por mais que eu insista, não sou ouvido e nem lido.

As novas gerações estão cada vez mais independentes, cada vez mais auto-didatas e cada vez mais livres para ir e vir, dentro de seus mundos, seguindo suas "tribos". A internet veio para competir comigo de maneira desleal. Que fazer? Por mais que eu tente, cabe a mim permanecer isolado num canto, sofrendo com a poeira e os ácaros. Enrugo, fico manchado e cada vez mais frágil.

Apesar de todo o meu lamento, vez ou outra alguém lembra-se de mim e num contato mais estreito, posso fazê-la viajar por mundos, reinos e lugares fantásticos, usando somente a imaginação. Não é um dom especial, é apenas um "deixar-se ler" e um "deixar-se entender"! Estou sendo esquecido por muitos daqui, substituído por prazeres cada vez mais velozes e sem conteúdo duradouro. Mas re-luto e sigo em frente. Não sou apenas um livro, sou a fonte e o registro de tudo que hoje existe.


sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Afetividade Interespecífica Exacerbada!



"Afetividade Interespecífica Exacerbada"
Introdução

          Tenho percebido que nos últimos anos a relação entre seres humanos e seus animais de estimação vem sofrendo uma alteração acentuada. Os animais não estão sofrendo apenas pela negligência de seus donos, por outro lado, vejo que o excesso de zelo vem desenvolvendo diversas patologias nos nossos animais de estimação. Entre as patologias crônicas mais comuns, estão as gastro-enterites, pancreatites, nefrites, hepatopatias diversas, dermatoses, distúrbios alimentares, periodontites e transtornos comportamentais/psicológicos cada vez mais difíceis de controlar e tratar.
          Hoje em dia é muito comum ouvir dos proprietários que seus animais são na verdade seus "filhos", "irmãos" ou "netos". Muitos não entendem que uma dieta saudável para seus animais de estimação não pode conter pizzas, chocolates, biscoitos recheados, pão com café, macarronadas, arroz com feijão, etc. Há uma tendência cada vez mais forte de antropomorfizar os animais, ou seja, estamos lidando com os animais de estimação como "seres humanos" miniaturizados.
          Vejo que, enquanto Médico Veterinário clínico, jamais conseguirei tratar os animais e aumentar o seu nível de saúde e bem-estar, enquanto os donos e/ou seus responsáveis diretos continuarem tratando-os como "humanos em pele de animais". Para ilustrar esta afirmativa, digo que já deparei-me com donos que questionaram minha conduta clínica de contenção física e aplicação de medicamentos sub-cutâneos, uma vez que seus animais estavam "sofrendo maus tratos" e iriam ficar com muita dor após as aplicações, consecutivamente.
          Acredito que haja certa transferência patológica de sentimentos entre alguns seres humanos e seus respectivos animais. É um tipo de relação que ultrapassa a simples empatia, ou seja, o "colocar-se no lugar do outro", passando a ser quase um "sentir o que o animal sente" e falar o que "ele não consegue falar". O fato dos animais não falarem tal qual os seres humanos, está tornando-se um "defeito de fabricação" para muitos donos. Mas isso não é impedimento para muitos de nós, o que é evidente nos comentários que escutei durante as centenas de consultas que já fiz: "Ele(a) entende tudo o que eu digo", "Nós conversamos o tempo todo", "Eu pedi para ele(a) se comportar durante a consulta, senão não ia ganhar o biscoito quando chegasse em casa", etc. Estas e tantas outras "brincadeirinhas" estão ultrapassando níveis de simples divertimento e chegando ao ponto d'eu presenciar uma cliente sentada no chão do Petshop escolhendo roupinhas, botinhas, brinquedos e "guloseimas" para o seu "filhinho", ora falando normal e ora falando com uma voz "infantil", como se o animal que trazia no colo estivesse falando e dialogando. 
          Tudo isso misturado, virou uma bola de neve e um grande círculo vicioso. Graças a Deus, inúmeras campanhas estão surgindo para potencializar a adoção de animais abandonados. Percebeu o ponto nefrálgico da questão? Cães abandonados por seus donos estão lotando as ruas das cidades e, conseqüentemente, canis em ONGs e instituições particulares, espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Tudo porque muitos seres humanos perderam o interesse em seus animais, pois deixaram de ser fofinhos e/ou passaram a desenvolver distúrbios comportamentais/psicológicos desagradáveis, entre outros motivos. O que muitos de nós, seres humanos, não sabemos é que somos nós o grandes causadores de inúmeras patologias em nossos animais de estimação.
          A culpa é dos animais? Não descartando a particularidade individual que cada animal possui, penso que eles são vítimas de seres humanos que, em pleno século XXI, não entendem e não aprenderam a lidar com seus companheiros não humanos.
          As análises psicológicas e biológicas são as principais fontes de dados, entretanto, e não menos importante, devemos analisar também os aspectos sociais e culturais, já que tanto os humanos quanto os animais domésticos estão neles inseridos. Se os seres humanos estão desenvolvendo algum tipo de patologia psicoemocional e transferindo-a aos seus animais, isso deve ser analisado sob a ótica psicológica, biológica e social. Só assim, com enfoque transdisciplinar, é que conseguiremos diagnosticar a fonte, que tipo, intensidade e quais os tratamentos possíveis para tal patologia.
          Certamente, este estudo por hora embrionário, levará os seres humanos a uma compreensão muito maior sobre si mesmo e sobre a relação saudável que precisa desenvolver e ter com seus animais de estimação.


terça-feira, 11 de outubro de 2011

O Tamanho do Mundo (Avô e Neto)!

- Qual o tamanho do mundo? Quis saber o neto.

- O mundo é muito grande! Disse o avô.

- Muito grande quanto? Insistiu o neto.

- Muito grande e com tantas coisas para se ver e viver que precisaríamos de muitos mais anos de vida para
conhecer tudo! Disse o avô tentando conter a curiosidade do neto.

- Quanto do mundo o senhor já conheceu vovô?

- Não muito. Sempre tive muito trabalho para fazer, e isso tomou muito o meu tempo. Sem contar que além da sua mãe, tive mais dois filhos, o Tio Roberto e a Tia Lúcia. Esses três sempre foram para mim uma grande alegria e fiz de tudo para dar-lhes a melhor educação, tanto dentro quanto fora de casa. Graças a Deus todos estão hoje muito bem encaminhados na vida. Tudo o que eu não pude conquistar, deixei para sua mãe e seus tios realizarem

- Que legal vovô! Será que mamãe e papai também farão o mesmo por mim?

- Claro que sim. Já estão fazendo.

- Mas eu não viajei para nenhum lugar do mundo. Só conheço tudo o que passa nos filmes e quando estou na internet. Queria poder pegar um avião e dar a volta no mundo, conhecendo cada país, aprendo a falar muitas línguas e fazendo muitos amigos! Disse o neto entusiasmado.

- Se você realmente desejar isso, poderá um dia conquistar tudo o que sonhar!

- O senhor acha mesmo que sou capaz de fazer isso?

- Acho não, tenho certeza. Mas você precisa entender duas coisas desde já.

- O que? Quis saber o jovem curioso.

- Precisa entender a fazer tudo com muito amor e escutar a voz do seu coração. Usando isso de maneira equilibrada e nas doses certas, com certeza conhecerá o mundo todo.

- Como faço para amar mais e escutar a voz do meu coração vovô?

- Isso é uma coisa que eu não posso te explicar e nem te ensinar. Isso você aprenderá com o passar dos anos. Só você pode medir o tamanho do amor que deseja doar e só você pode escutar a voz que vem do seu coração.

- Mas eu não escuto voz nenhuma e não sei como amar mais.

- Por hora, basta ser um bom menino, tratar bem os seus pais, dar-lhes todo carinho, atenção, não ser mal-criado, ir ao colégio, se esforçar para tirar boas notas, fazer as lições de casa, ir a igreja, rezar e tratar bem a sua irmã.

- Mas isso eu já faço todos os dias. Não tem nada diferente que eu possa fazer, além disso?

- Claro que tem, mas não sei se eu posso te contar isso agora. Acho que não é o momento.

- O que é vovô? Conte-me, prometo guardar segredo! Disse o garoto ansioso para saber os segredos do amor e de como ouvir a voz do coração.

- Tem certeza que guardará segredo? E que fará tudo do jeito que eu lhe disser? Perguntou o velho avô.

- Sim, pode confiar em mim.

- Então é o seguinte: Ame Deus sobre todas as coisas e sem medidas. Todas as vezes que rezar, o faça não só para pedir ajuda a Deus, mas também para agradecer as boas coisas que aconteceram em sua vida durante aquele dia ou aquela semana. Quanto alguém falar mal de você, não deixe que isso permaneça mais que um segundo em sua mente. Quanto alguém lhe bater, ofereça a outra face, seja forte e levante-se quantas vezes for preciso. Se um dia sofrer a perda de alguém, lembre-se de guardar as melhores lembranças dessa pessoa que se foi. Se perceber que chegou num beco sem saída, volte e procure um novo caminho, sem se deixar abater pelo cansaço. Quando amar uma pessoa, faça isso da maneira mais forte que puder, nunca canse de dizer a ela o quanto a ama e o quanto ela é importante para você. Se discutir com ela por qualquer motivo, nunca durma a noite sem ter se desculpado, lhe dado um beijo ou lhe aberto um belo sorriso. As melhores coisas da vida quase sempre passam desapercebidas, esteja atento aos detalhes. O mundo é o reflexo de como você é, tão feliz ou tão triste quanto você é. Escolha o tipo de mundo que deseja ser e viver. Quando chorar, deixe cair até a última gota de lágrima. Se você estiver certo sobre algo, nunca deixe que ninguém lhe convença do contrário. Nem mesmo eu. Para finalizar, tenha uma boa alimentação e pratique atividades físicas frequentes. Quando chegar na minha idade você vai entender o porque.

- Caramba vovô, quanta coisa! Não conseguirei lembrar de tudo isso. Agora só consigo me lembrar da primeira frase: "Ame Deus sobre todas as coisas e sem medidas"! Disse o garoto.

- Tudo bem, isso é o mais importante no momento. O restante você aprenderá com o tempo.



Foto: http://vidadmaquinista.blogspot.com/2011/07/uma-antiga-marca-de-soro.html

Fabulando... #2


A Garça e o Beija-Flor
Certa vez, a Garça viu um Beija-for e encantou-se com o seu estilo de voo. Ela viu que a pequena ave possuía uma agilidade sem igual na natureza, além de possuir cores fabulosas. Era encantador ver o voo do Beija-flor. A Garça, num rompante de inveja, desejou fazer o mesmo que o Beija-flor, mas por mais que tentasse nunca conseguiu ser como a pequena ave.
MORALIDADE: Nunca devemos ser aquilo que não somos. Aceitar o que/quem somos, é um dos caminhos da felicidade.

Formiguinha Preguiçosa
Uma formiguinha vinha caminhando pela estrada quando, ao ultrapassar uma pedra, encontrou-se com outras duas que vinha no caminho oposto. Uma delas trazia uma folha imensa, dez vezes o tamanho do seu corpo. A Segunda trazia um galho seco de trigo com várias sementes. Impossibilitada de carregar sobre a cabeça, pois pesava muito, ela arrastava o gigantesco galho. A formiguinha vendo o grande esforço das suas companheiras, prostrou-se de tanto desânimo, imaginando o tamanho do esforço que iria fazer. Uma ave que passava no momento, viu que ela estava parada e por isso era um alvo fácil. Sem fazer muito alarde, aproximou-se e devorou a formiguinha.
MORALIDADE: Mesmo que o fardo seja pesado, nunca pare/desista antes de tentar carregá-lo.

O Besouro e a Mariposa
A terra estava seca por muitos anos. Alí nada crescia e dava frutos. Um dia o Besouro passou gritando para os outros insetos que viviam naquela terra: "Está vindo muita água, corram, senão morrerão todos afogados". Todos os animais, ouvindo o Besouro, saíram correndo e procuraram abrigo nos lugares mais altos que puderam; exceto a grande Mariposa. "Não vais se abrigar"? Perguntou o Besouro à Mariposa, no que ela respondeu: "Você está ficando louco, não deves estar enxergando bem. Onde já se viu tamanha besteira". O Besouro foi embora, voando para bem longe e minutos depois uma grande quantidade de água apareceu. Sem que a Mariposa pudesse fazer nada, afogou-se.
MORALIDADE: Não se conforme com aquilo que parece imutável. Esteja atento aos sinais, pois quando menos esperar tudo o que você conhece pode mudar completamente.

A Goiabeira e as Larvas
Naquele ano, as goiabeiras deram muitos frutos e um era mais suculento que o outro. Entretanto, de todas as goiabeiras, uma era a mais bem tratada e com os melhores frutos. As larvas começaram a aparecer e foram devorando, uma a uma as goiabas daquela árvore. Em pouco tempo todas as goiabas estavam cheias de larvas, todas concentradas naquela única árvore. De repente, uma a uma, as larvas começaram a passar mal de tanto comer e caíram todas no chão com indigestão.
MORALIDADE: Por mais suculento que possa ser o fruto, seja cauteloso na hora de se saciar ou nunca mais conseguirá apreciar um bom banquete.

Luta e Poesia!


Autor: Muriel
Fonte: http://murieltotal.zip.net/arch2011-10-09_2011-10-15.html#2011_10-10_13_36_27-2063478-0

sábado, 8 de outubro de 2011

Homenagem Recebida - WSPA / ALERJ!

Olá Pessoal,

Ontem, participei de um evento realizado pela WSPA (Sociedade Mundial de Proteção Animal) e pela ALERJ (Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro). Foi com grande alegria que fui um dos quinze Médicos Veterinários escolhidos no Estado do Rio de Janeiro para receber uma Homenagem da WSPA e uma Moção de Aplausos e Louvor da ALERJ, pelos trabalhos que ao longo dos anos, realizo na ONG Defensores dos Animais (E em outros lugares), em prol da saúde e do bem-estar animal.

No evento estavam presente colegas de profissão que atuam tanto na capital quanto no interior do Estado do Rio de Janeiro, nas áreas mais diversas da Medicina Veterinária. Estavam presentes também representantes da WSPA - Brasil, autoridades políticas e representantes do CRMV-RJ (Conselho regional de Medicina Veterinária do Estado do Rio de Janeiro).

Gostaria de compartilhar com todos esta grande alegria, pois foi a primeira vez que recebo tamanho reconhecimento pelos trabalhos que realizo como Médico Veterinário. Tenho certeza que não cheguei até aqui por mérito próprio e muito menos por mérito individual. O trabalho de muitos amigos, médicos veterinários ou não, estão aqui também representados.

Muitos são os profissionais que, melhores do que eu e muito mais qualificados, poderiam ser escolhidos para receber esta homenagem. Por isso, este momento é também um reconhecimento a todos os colegas de profissão que trabalham dia após dia, lutando pela causa animal e na busca constante na elevação do bem-estar dos mesmos.

Na Moção recebida pela ALERJ há uma passagem do texto que diz assim: "O Médico Veterinário é o melhor amigo de todos os animais, desde o mais pequenino, sem distinção de raça ou espécie [...] A Medicina Veterinária proporciona uma grande interação entre as demais profissões, abrangendo duas vertentes aos mesmo tempo, promoção da saúde dos humanos e dos animais. A atividade da Medicina Veterinária é querida e fascinante por todos os seres vivos". Este documento foi assinado pelo Deputado Paulo Ramos, que trabalha, entre outras coisas, pela causa animal no âmbito político.

Segue algumas fotos do evento. Desejo que gostem.

Abração,

Flávio Nunes.


Drª Helena (Cirurgiã), Drª Mariângela (Presidente) e eu (Clínico e Secretário Geral)
Todos Homenageados e  membros da ONG Defensores dos Animais

Eu após a Homenagem

As representantes da WSPA ao centro e seis dos quinze Homenageados do dia




Gigante...

Olá Pessoal,

Olha só a propaganda da Johnnie Walking - Brazil!!! Dispensa comentários...

Abração,

Flávio Nunes.


Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...