sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Felicidade x Sofrimento!

Tem horas que paro para pensar sobre o significado do sofrimento e da felicidade na vida das pessoas. Já dizia Einstein que "Deus não joga dados com o universo", ou seja, tudo tem sua razão de ser e já está traçado por Deus desde o início dos tempos.

Começo a acreditar, não sendo trágico ou cínico, que assim como há aqueles que nasceram para o sucesso, há também aqueles que nasceram para sofrer. Neste ponto de vista, vale lembrar que há aqueles que após um grande sucesso, caem e ensinam o significado da soberba; em contrapartida há aqueles que após muito sofrer atingem o sucesso, a felicidade e a paz, ensinando com isso o significado da perseverança e da Fé.

Uma coisa é certa, não há pessoa que não passe por momentos de sofrimento e felicidade na vida. Devemos, em verdade, minimizar ao máximo os momentos ruins e intensificar os momentos de júbilo.

A quem diga que a vida não tem jeito, que tudo nunca irá mudar e o melhor a fazer é nos conformar. Apesar da minha exacerbada capacidade de procrastinação, luto sempre por justiça. Se não consigo agir de algumas formas, consigo escrever e fazer minha voz/palavras vagarem pelos quatro cantos.

Devemos ter Fé, esperança e perspectiva de vida. Vale a pena lutar por nossos direitos, assim como vale a pena lutar por nossos sonhos. O que não sabemos é se seremos aquele que atingirá o objetivo sonhado ou aquele que servirá de ponte às futuras gerações. Lembrem-se que há os grandes nomes, os grandes seres humanos da humanidade, mas que antes deles há anônimos que contribuíram muito para que apenas um nome fosse lembrado pela eternidade.


Foto: http://tricotfagia.blogspot.com/

Descaso da UNIMED!

Olá Pessoal,

Não desejo passar para meus leitores o quão trágica pode ser a vida de uma pessoa, mas a luta honesta pelos direitos que nos assiste enquanto cidadãos. Me pergunto sempre quando isso tudo vai acabar. Infelizmente não tenho uma resposta.

O texto que segue é a demonstração da minha indignação com o meu Plano de Saúde, UNIMED. Nunca precisei utilizá-lo para nada mais grave que coisas ambulatoriais, até o momento. Agora que preciso, após 17 anos, pagando mensalmente as mensalidades, não obtenho um bom atendimento, ou melhor, um atendimento completo.

Desde já, desculpem o longo texto,

Abração,

Flávio Nunes.

PS: Texto publicado no site "Reclameaqui.com.br" (http://www.reclameaqui.com.br/2496060/unimed-norte-fluminense-itaperuna-rj/nao-autorizacao-de-exame-descaso/).




Boa Noite,

Ontem pela manhã acordei com cólica na região lombar e com dificuldade de micção. A um mês eu passei três vezes por emergências clínicas, sendo que realizei duas tomografias computadorizadas. A autorização para a primeira ocorreu em poucos minutos, entretanto a autorização para a segunda tomografia demorou aproximadamente quatro horas.

Ao entrar em contato com a UNIMED NORTE FLUMINENSE - minha seguradora -, fui informado que como havia realizado uma Tomografia Computadorizada a pouco tempo, esta segunda deveria passar por avaliação antes de ser autorizada. Após os exames, fui consultado por um Urologista e com a devida medicação, dentro de quatro dias, eu expeli o cálculo que me incomodou por dez dias.

Segundo a orientação do meu Urologista, fiquei de repouso, terminei de tomar a medicação prescrita, aumentei a ingestão de água e fiquei alerta aos sintomas, caso um novo cálculo surgisse. Como amanheci hoje com os mesmos sintomas, liguei para o meu Urologista e ele indicou que, se a dor aumentasse, mesmo com o analgésico, eu deveria procurar novamente a emergência e refazer os exames. A dor aumentou e segui com minha esposa, que está grávida, para a emergência onde fui atendido por ele a aproximadamente um mês atrás.

Cheguei ontem na emergência por volta das 10:00h, fui atendido por volta das 13:00h. Fui medicado e, após a dor ser estabilizada, novamente o médico plantonista indicou a realização de uma nova Tomografia Computadorizada. Ao chegar no centro de Diagnóstico por Imagem, anexado ao hospital que estava sendo atendido, tive que passar pelo mesmo processo para autorizar meu exame. Ali fiquei com minha esposa entre 15:00h e 18:00h, e o exame não foi autorizado. Me pediram inclusive, que enviasse por fax, uma cópia do procedimento clínico que havia feito a pouco assinada pelo médico que havia me atendido. Assim o fiz, para minimizar maiores constrangimentos.

Enquanto a recepcionista ligava para a UNIMED NORTE FLUMINENSE e tentava a minha autorização de exame, eu também liguei e conversei com a Nalva, responsável pelos trâmites legais referentes a autorização do meu exame. Como também trabalho com a área de saúde - sou Médico Veterinário -, e não recomendo exames desnecessários aos meus paciente, eu em plena consciência, não sairia de casa, estando saudável, e iria à emergência de um hospital pedir uma Tomografia Computadorizada só por "esporte" e "diversão". Estando eu com muita dor, procurei seguir a orientação do meu Urologista e do plantonista que me atendeu naquele instante no hospital.

Por fim, a orientação que me foi passada pela recepcionista do Centro de Diagnóstico por Imagem onde estava, é que a Nalva, após conversar com o responsável pela autorização do exame, pediu para eu pegar a Tomografia que fiz a um mês e trouxesse para o hospital, ou seja, já que foram feitas duas Tomografias e o cálculo foi diagnosticado a um mês, não havia a necessidade de um novo exame.

Qualquer médico, que executa a medicina humana e a medicina veterinária, sabe, enquanto clínico plantonista ou não, que um mês de diferença entre dois exames podem ser significativos no fechamento de diagnósticos diferenciais, uma vez que há sintomas semelhantes para patologias diferentes.

Sou pós-graduado em Morfofisiologia Animal, com ênfase em ensino/aprendizagem, sendo minhas linhas de estudo a fisiologia comparativa e a bioética. Sou clínico e cirurgião, com prática clínica de rotina e em plantões. Nesse ano completo 8 anos de graduado e proporcional tempo de atuação profissional. Apesar de meus pacientes serem diferentes fisicamente, fisiologicamente são bem semelhantes. Este paragrafo não foi descrito por soberba, mas para dizer que sei exatamente como funciona a área médica, a rotina clínica e por quais motivos/importância se pede a autorização de exames complementares e afins, para fechamento de diagnósticos/descoberta da patologia primaria e melhor orientação farmacológica.

Desculpe o longo texto, mas é preciso que tudo fique claro. Desejo que uma atitude seja tomada. No momento estou seguindo a orientação do meu Urologista e sem uma nova Tomografia para saber se estou com outro cálculo ou com alguma patologia abdominal que pode evoluir para algo mais grave de médio a longo prazo.

Aguardo resposta e solução para esta pequena demostração de descaso por parte da UNIMED NORTE FLUMINENSE, da qual faço parte a 17 anos.



Foto: http://comunidadepentecostalprojetovida.blogspot.com/2010/06/descaso-da-saude-publica-com-populacao.html

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Momento Baixo.

Em nossas vidas há aqueles momentos de júbilo e há os momentos em que nos perguntamos: "Afinal, onde estou errando? Como tudo isso começou? Por que logo agora e logo comigo?...". Além desses questionamentos, muitos outros povoam nossos pensamentos.

Para os mais espiritualizados e/ou místicos, questionar a inveja alheia é, em última escala, consolador e reconfortante. No fim, por obra do destino ou por "trabalhos" realizados nas esquinas da via, culpar o outro é sempre a melhor saída. Entretanto, é uma saída infantil e mesquinha, uma vez que canalizamos nossas responsabilidades e tiramos de nossas costas um fardo, muitas vezes pesadíssimo.

Por mais difícil que seja, assumir com convicção os nossos erros, corrigí-los e trabalhá-los, para que não voltem mais a ocorrer é a melhor maneira de criar prosperidade e conforto pessoal/familiar.

Não, não li isso em nenhum livro de auto-ajuda e nem participei de palestras motivacionais. O que aqui vos escrevo, é o sumo destilado da minha vida. Não tenho idade suficiente ainda para reflexões mais profundas e devaneios mais desvairados, mas com o pouco que tenho já consigo certa dose de néctar.

A vida passa, e quando penso, por meio segundo, "este será o meu fim", a maré volta a subir e com ela uma vida nova resplandece. Mais um ciclo se fecha e outro inicia-se. Mais um momento de mortificação e mais um renascimento.


Foto: http://marciodepes.com.br/v4/index.php?option=com_content&view=article&id=166:a-volta-por-cima-&catid=37:artigos-diversos&Itemid=63

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

"Fraqueza"!

Às vezes me sinto tão fraco. Se sinto é porque sou. Se sou é porque algum aspecto de minha vida precisa ser melhorado.

Que período é este de vida com tantas atribulações e, por assim ser, com tantas descobertas interessantes. Estou vendo tudo isso como um grande amadurecimento. Só assim para erguer a cabeça e seguir em frente.

Mais uma fraqueza hoje foi exposta, e de uma maneira brutal. Descobri que não é o meu forte envolver-me em discussões acaloradas, cujos ânimos estão exaltados e cujas consequências são sempre lesões eminentes. Quando vejo que um dos dois lados da corda irá se romper e com isso, o sangue de alguém irá jorrar, prefiro que seja o meu sangue.  Louvável para alguns e imbecilidade para outros, esta atitude é de uma maneira geral muito pacífica para os dias atuais.

Mas afinal, onde está o grande erro de tudo isso? O grande erro está no fato de assumir a mortificação exacerbada, inclusive por erros alheios, em prol do bem-estar do todo. Podem me chamar de ingênuo, panaca, idiota, otário,... mas nesse quesito, descobri que sou frouxo. Não consigo manter um clima tenso por mais que meio minuto. Tudo que gera conflito causa em mim um extremo desconforto.

Prezo pela justiça, mas mortifico-me diante de uma guerra eminente. Um paradoxo e tanto para os psicólogos e psiquiatras dos dias atuais. Prefiro o martírio, ao escândalo. Prefiro o silêncio, ao ato de ferir alguém, mesmo com as palavras. Prefiro a solidão, ao ato de defrontar-me com forças alheias. Parafraseando Gandhi, acredito no dito: "Primeiro eles te ignoram, depois riem de você, depois te agridem, e então você vence"; e também o evangelho que diz, literalmente: "Se te batem numa face, ofereça a outra face".

Mas que tipo de pensamento é esse? Num mundo onde a lei é o dos mais espertos, onde vence aquele que consegue ser o mais corrupto e o mais mesquinho, ter uma atitude como esta é tida como uma fraqueza. Mas fazer o que, se não consigo fazer mal a ninguém. Não consigo desejar mal a ninguém. Se tenho inimigos? Sim, os tenho; quem não os têm? Entretanto, procuro ver que ele(a) também é filho(a) de Deus e como tal, merece o meu respeito, mesmo a recíproca não sendo verdadeira.

A mortificação, o silêncio e a solidão, são minhas fraquezas. Quiçá, fosse eu mais forte a ponto de combater meus inimigos em proporcional força, mas não sou capaz de ver "sangue", daquele que não sabe o que faz, escorrer pelos meus dedos, só para ter a vã glória de uma luta passageira.


Foto: http://acordoanjo.blogspot.com/

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Grandes Nomes!

Está quase chegando a hora do meu querido e amado filho vir ao mundo. No momento, enquanto ainda está sendo gerado, várias são as reflexões que faço sobre a responsabilidade que teremos, minha esposa e eu, na criação desse novo ser que nasce.

Deus nos dá uma grande responsabilidade quando, por livre e espontânea vontade dois seres humanos se casam e, por livre e espontânea vontade, desejam gerar um filho. O fato é que uma criança nasce, única e irrepetível, como um ser, um indivíduo humano. Entretanto, torna-se SER HUMANO à medida que, através da formação humana que recebe, principalmente dos pais, amadurece fisicamente, psicologicamente, emocionalmente, moralmente e eticamente.

Existem, ao longo da história, seres humanos surpreendentes. Tanto do sexo masculino, quanto do sexo feminino, destacaram-se em diversas áreas do conhecimento e também no que diz respeito às questões espirituais, inerentes à nós humanos.

Esses seres humanos surpreendentes terão seus nomes lembrados por milhares e milhares de anos. Não é presunção dizer que muitos jamais serão esquecidos. Assim acontece com Jesus, Buda, São Francisco de Assis, Platão, Sócrates, Aristóteles, Confúcio, Darwin, Newton, Einstein, Nietzsche, Gandhi, Maquiavel, Shakespeare, Clarisse Lispector, Carlos Drummond de Andrade, Machado de Assis, Monteiro Lobato, Santos Dumont, Ernest Hemingway, Beethoven, Vivaldi, Mozart, João Paulo II, S.S. 14º Dalai Lama, Steve Jobs, Chiara Lubich, entre outros. Um pequeno parêntese também se faz necessário para um dos "gênios do mal", Hitler.

O ponto que desejo chegar é: Todos nasceram e foram criados por seus pais; muitos tiveram filhos(as), mas de suas genealogias pouco se sabe. Conhecemos apenas os seres humanos que foram. Muitos dizem que Hitler foi um animal, e não um ser humano, contudo isso não cabe a mim julgar.

Diga-me: Quem foram seus pais? Quem são seus filhos? Quem é você para o mundo? Quem dessas três gerações terá seu nome gravado na história da humanidade? Como isso se dará? Será meu/seu pai, minha/sua mãe, minha/sua esposa, meu/seu filho ou eu/você? Que legado deseja deixar para o mundo? Vale lembrar que muitos são completamente anônimos, mas deixaram um(a) filho(a) como o maior legado para a humanidade.


Foto: http://fraseandocomvivi.blogspot.com/2011/05/genialidade.html

Novo Record - Obrigado!

Olá Pessoal,

Estou passando para agradecer ao novo record cunhado no Blog Excessivamente Humano.

Graças ao apoio de todos vocês, que são leitores do Blog, consegui alcançar mais um record. Além de completar recentemente mais de 50.000 visualizações e mais de 200 seguidores, neste mês de Janeiro de 2012, obtive no intervalo de 31 dias, quase 5.000 visualizações.

Mais uma vez obrigado pela atenção e carinho de sempre!

Abração,

Flávio Nunes.


Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...