quarta-feira, 28 de março de 2012

Mel Utilizando o Banheiro!


Como de costume, no meu horário de almoço, ligo para minha esposa. Pergunto como passou a manhã, como vai o nosso bebê e agora, como vai a Mel, nossa recém adquirida cadelinha de estimação.

A Mel chegou tímida e estava bem chorona nos primeiros dias. Contudo, apesar de estar a pouco mais de uma semana em nossa casa, posso dizer que está completamente adaptada. Brinca, corre, morde nossos calçados e ainda não aprendeu qual o melhor lugar para urinar e defecar. Quando está presa, o jornal é o banheiro ideal, mas quanto está solta parece que não dá tempo de chegar até o jornal.

Hoje ela fez a sua primeira "cachorrice". Segue o que minha esposa me contou por telefone:

- Oi amor, você não vai acreditar o que a Mel aprontou.

- O que foi? O que ela fez?

- Eu estava na sala com ela no meu colo e depois de um tempo eu adormeci no sofá. Não me pergunte como ela desceu do sofá, pois não tenho a menor idéia. Lembro apenas, não sabia se era sonho ou realidade, que ela vinha até mim, latia, latia, lambia meus dedos que estavam na borda do sofá e depois ia lá para dentro, passava um tempo e depois voltava, repetindo o processo.

- Certamente aprontando alguma.

- Pois é, escuta só. Depois de um tempo eu acordei e fui direto ao banheiro. Ao chegar lá você não vai acreditar no que vi.

- O que foi?  O que ela fez?

- Ela mexeu no lixo e espalhou papel sujo por todos os lados. Sem contar que descobriu o rolo de papel higiênico e desfez tudo, espalhando a folha branca pelo chão. Ela também mordeu e rasgou duas revistas em quadrinhos. Quando eu a vi, ela estava no meio disso tudo me olhando com uma orelha em pé e outra deitada. Com minha presença, levantou-se, veio até mim abanando o rabo e fazendo festa.

Ao ouvir minha esposa descrever a cena não pude conter a risada. Só de imaginar a cena eu não me contive.

- Você ainda ri? Perguntou minha esposa.

- Desculpa amor, mas ela está saindo melhor que encomenda. Fico imaginando como um ser tão pequeno pode aprontar tanto, em tão pouco tempo. Eu que queria tanto ensiná-la a ser uma cadelinha tranquila para inserí-la num programa de TAC (Terapia Assistida por Cães).

- Acho que a Mel nunca conseguirá ser tranquila suficiente para ser aceita num projeto de TAC. Mas se ela virar atriz canina, só fará filmes de ação. Se for protagonista, o nome do filme será "Mel, uma cadelinha do barulho".

Conversamos sobre outras coisas e em seguida nos despedimos. Ao guardar o telefone no bolso da calça e continuando o caminho que me levaria até o local onde ia almoçar, não pude me conter e dei mais umas pequenas gargalhadas pensando: "Os cães, ao menos a Mel, não utiliza o banheiro da mesma maneira que nós. Para ela, espalhar tudo, é bem mais divertido".

2 comentários:

Cristina Ferber disse...

A Mel é levada mesmo né, Flávio? Feche as portas dos banheiros e faça cara de bravo qdo ela fizer essas coisas. Dê ossinhos para ela mastigar. Já tive um cachorrinho que comeu até um pedaço da minha parede. Tenha paciência, mas principalmente eduque. Estou torcendo por vcs! Um abraço!

Flávio Nunes. disse...

Olá Cristina,
Pois é, a Mel é bem levada..rs.. Estamos, minha esposa e eu, educando a Mel para que se torne um cãozinho bem sociável. Mas nos esquecemos que ela ainda é muito nova e precisa queimar suas energias extras..rs.. Estamos com toda paciência do mundo. Está sendo uma ótima experiência.
Mais uma vez, obrigado pela visita e pelo carinho.
Abração,
Flávio Nunes.

Postar um comentário

Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...