domingo, 29 de julho de 2012

Necessidade de Ilusão...

NOTA INTRODUTÓRIA: Quando a inspiração bate, nada melhor do que deixar o texto fluir livremente.....



Hoje senti necessidade de ilusão em minha vida. Estou cheio das realidades que não me trazem proveito algum. Até me provarem que a realidade é melhor do que o sonhar, prefiro viver num mundo de sonhos, fantasias e ilusões. Ao menos não me engano e não me deixo enganar por situações que fogem ao meu controle. Sei que o vilão baterá, o herói cairá, levantará e na beira da morte transcenderá seus limites e vencerá a batalha. 

Viver no mundo dos sonhos e das ilusões, pode ser bem produtivo, uma vez que em toda boa história o mocinho sempre vence e o vilão sempre morre. Há as histórias que possuem seus anti-heróis, mas mesmo sendo malvados, praticam o bem, pois "já que vão para o inferno" pelo menos tentam salvar suas almas e as almas de outros, para que não tenham o mesmo fim. No mundo real, vejo que os vilões estão vencendo e os mocinhos estão morrendo ou perdendo as batalhas, dia após dia. 

Percebi que meus limites me impedem de ver certas grandezas. Acho que a luta de quem tem muito é menos válida do que a luta dos que pouco ou nada têm. Posso estar enganado, sendo pré-conceituoso e desenvolvendo um senso de inferioridade, diante de um mundo em que os maus progridem e os bons padecem; entretanto, não posso deixar de notar que algo está estranhamente fora dos eixos.

Exilo-me dentro de mim e através da análise do meu eu interior, que deseja ver um mundo melhor, saio de mim. Por amor à minha família busco superar meus limites e ir além do que os olhos alcançam. Mas ainda não é o bastante, nunca será o bastante. Preciso ser mais forte, preciso ir além, preciso enfrentar meus inimigos interiores e encontrar meios de me livrar das amarras exteriores. Estou à beira do abismo, estou preso por um ínfimo fio, meu escudo caiu, minha espada se perdeu em meio aos corpos no campo de batalha, minha armadura está rasgada, estou vulnerável. A espada do inimigo, bem afiada, ralha minha pele, bem próximo à jugular, um movimento em falso, um erro de cálculo e a sangria é certa. Peço clemencia ao meu oponente, peço ajuda a Deus e junto forças para sair dessa situação com o mínimo de cicatrizes.

Escondo-me atrás de uma face rubra e de roupas, segundo meu conceito, sóbrias e elegantes. Escondo-me atrás das palavras, dos versos e rimas. Escondo-me dentro dos desejos, sonhos e ilusões. Escondo-me no meu mundo e esqueço que a luta que empreendi acontece na realidade, na casa do inimigo, do lado de fora. "Dai-me forças Senhor, não me faças perder a fé em ti. Não deixe a esperança se afastar do meu peito. Apazigue os corações dos meus familiares e lhes traga conforto e temperança diante de todo o caos", assim rezo todos os dias. 

Não me estenderei mais, uma vez que não quero levar agora o título de melancólico ou trágico. Só não queria guardar para mim a angústia de viver uma realidade estranha aos meus sentidos. Quis diluir-me em palavras para ser absorto, à cada modo, pelas almas afins. 

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Recordo Dom Quixote...


Num livre pensar, recordo-me de Dom Quixote: "Eis que o cavaleiro e seu fiel escudeiro vêem ao longe uns trinta ou quarenta moinhos de vento. Dom Quixote os confundem com gigantes e investe contra eles todas as suas energias, mesmo tendo Sancho avisado sobre tamanha falascia. Foi ao encontro do primeiro e de cara deu-lhe uma trombada daquelas. Sancho, seu fiel escudeiro, o socorreu e em meio à devaneios pensou tudo aquilo se tratar de magia, realizada para lhe confundir, na constante mutabilidade que as guerras portam".

Seria o velho cavaleiro louco? Ou seria ele dono de uma percepção arguta? O fato é que criamos nossos Gigante/Monstros, de acordo com a percepção que temos do mundo à nossa volta. Há os que são medrosos e preguiçosos, que livrando-se do enfrentamento preferem olhar as coisas como são. Como não existe saída de tal estado, firmam os pensamentos e atos naquilo que é. Há os que são corajosos e destemidos, cujas ações vão além da percepção comum.

Às vezes, e somente às vezes, surjem alguns homens que cansados da mesmice imposta pelo sistema e por uma vida sem aventuras, passam a inventar mundos habitados por seus fantasmas interiores. Estes, criam um universo novo onde são soberanos. Infelizmente alguns padecem dentro si mesmos, medrosos e temerosos. Acreditam que o melhor é morrer à viver uma verdade que não lhes pertence.


Mais Poemas...


1ª Sextilha:

Um dos erros da humanidade
Comprar mais do que pode pagar
Sem dinheiro, o que comer?
Até os cães se põem a ladrar
Desejosos de algo que também para eles falta
Não há muito o que fazer, me resta trabalhar

1ª Décima:

Nuvem negra que me rodeia
Traz-me aflição, temor e medo
Perco o tempo, antes tarde do que cedo
Perdi a chama que me incendeia
Espero a morte, preso nessa teia
Mas não posso me desesperar
Sei que tudo isso um dia vai passar
A nuvem que traz pavor, também traz vida
A felicidade não pode ser assim contida
Para tanto, preciso agora exercitar a Arte de Amar

2ª Sextilha:

Atrasado novamente estou
Mais uma vez, conto com a compreensão
Não só de esposa e filho
Todavia do patrão
Mais uma desculpa virá
Não é o sono e o cansaço, mas o trânsito, uma amarração


2ª Décima:

Esperança minha amiga
Afasta de mim esse cálice
Preciso de um milagre, um enlace
Que me tire dessa fadiga
Dessa canseira inimiga
Leve embora minha preocupação
Que de tanto peso, me afasta da oração
Esperança, não se esconda
Quero-te à minha ronda
Afaste de mim a desolação

3ª Sextilha:

Tenho certeza de uma coisa
Tenho esperança e minha fé não falha
Não falta muito, vai melhorar
Sou forte como a muralha
Nessa vida de ilusão
Dotô nenhum me ralha

3ª Décima:

Sol ilumina o céu
Afasto de mim o pecado
A cruz no peito espanta o mal olhado
Sou vítima, não sou réu
Se diz contrário, faço escarcéu
Sigo vivendo, num ritmo que alucina
Entre mundos vou, palavras e medicina
Sigo forte, sou lutador
De noite letras, de dia doutor
A vida me surpreende, me fascina.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Poemas Inspirados...

Olá Pessoal,

Ontem uma amiga, Tatis, me presenteou com um vídeo cujo conteúdo se trata de uma Aula Espetáculo de Ariano Suassuna. Tão apaixonada pela ciência quanto o é pela literatura, ela sabendo do meu interesse pelo tema, envia-me o tal vídeo.

Sem maiores expectativas, mesmo se tratando de um nome conhecido, comecei a assistir o vídeo. Maravilhei-me! O vídeo é fantástico e recheado de emoção, ao menos para mim. Ver um senhor, que agora está com 85 anos, encantar seu público com uma lucidez sem igual é de tirar lágrimas dos olhos. Numa mescla de históricas, contos e encantos, ele entreteu sua platéia do início ao fim.

Após ouvi-lo e vê-lo, tentei eu também arriscar algumas rimas. Segue o vídeo que me inspirou, desse mestre da nossa literatura, e em seguida segue as minhas Sextilhas e Décimas. Poemas de um aprendiz das letras.

Desejo que gostem do vídeo e dos poemas.

Abração,

Flávio Nunes.


Vídeo: Aula Espetáculo com Ariano Suassuna - SESC Vila Mariana - São Paulo (SP).





Poemas inspirados:

Estrutura dos poemas:


- Sextilha: A B C B D B
- Décima: A B B A A C C D D C


 1ª Sextilha:

Lúgubre amanhecer
Com orvalho e pasto verdejante
Lembra-me teu olhar
Que é tão belo e esfoliante
Queria eu estar ao seu lado a todo momento
Manhã, tarde e noite

2ª Sextilha:

Que felicidade é conhecê-lo
Tão pequenino, tão valente
Envolto em panos e sonhos
Agora pequeno, depois gigante
Meu diminuto João Luiz
Adoro vê-lo sorridente

3ª Sextilha:

Resolvi fazer o teste
Pra ver se rima é bom pra tudo
Entra no ônibus o vendedor de cocada
Motorista fala: Eu quero tudo
Não da morena, mas da branquinha
Bastou provar pra ficar mudo


1ª Décima:

E eis que te encontrei
Morena, cor de jambo
Você princesa, eu mulambo
Imediatamente pensei
Será esta que amarei?
A ela entreguei meu coração
Sem cerimônia, sem sermão
Dali a certo tempo, fiz o juramento
Quero você em casamento
Ela disse sim e eu só emoção

2ª Décima:

Eita saudade que urra
Pele, cabelo e boca
Sabor, cheiro e nuca
Mas cá estou nessa amarra
Longe do céu, preso à terra
Te digo, dessa vida ei de sair
Quero, na liberdade, ir e vir
Sem mais torpor
Sem mais ardor
Para sempre pular, cantar e rir

3ª Décima:

Tenho um sonho juvenil
De um dia tornar-me escritor
Mas quis a vida que fosse eu doutor
Na minha cabeça borbulhas mil
Será esse um sonho senil?
Estou vendo o tempo passar
E aquele sonho, pouco realizar
Mas insisto, brigo e surto
Não farei do meu partir um luto
Daqui irei, mas deixarei o mundo a gargalhar

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Frio e Calor!

Após dias de frio e tristeza, é chegada a hora de sair da caverna e abrir-se para um mundo novo. Num liquefazer-se súbito, aquilo que causava entrave e ardor nas juntas, agora sairá de nós e, com certo apresso pela vida, caminharemos mais um pouco.

Do que falo? Podem perguntar alguns. Falo do frio e do calor, da prisão e da liberdade do ser, da preguiça e da pró-atividade. Falo de antagonismos inerentes e arraigados em todo e qualquer ser humano. Lados opostos, que lutam constantemente dentro de nós, num eterno embate e desafio mútuo, para ver no fim quem é que ganha.

Se deixar-se levar pelo frieza do metal e pela preguiça de atitudes, a prisão será sua realidade. Por mais que tente, não conseguirá desvencilhar-se das amarras colocadas em seus calcanhares, punhos, cintura e pescoço. Morrerá internamente muito antes de fazê-lo externamente.

Em contra partida, se esforça-se para sair da latência, aproveitando bem o calor e tudo que isso traz, experimentará uma liberdade sem igual. Olhe que não é tanto, aqui citando apenas duas nuances da vastidão contida no amor. O caminho pode ser extenuante, mas em tamanho sofrimento há proporcional recompensa.


Foto: http://cachosdeideias.blogspot.com.br/2011/10/frio-ou-calor.html


Feliz Dia do Amigo!

Olá Pessoal,

Hoje é o Dia do Amigo. Entre as diversas mensagens que vi hoje na net, um vídeo me chamou a atenção. Acredito que nada melhor para esse dia de hoje do que assistir a este vídeo. Existem tantos outros vídeos, fotos e mensagens por aí, mas esta é um pouco diferente e faz pensar.

Compartilho-o com todos os meus amigos e inimigos. Por que ser do bem é bom!..rs..

Abração,

Flávio Nunes.



Camarada Admirável por GafanhotoVerde no Videolog.tv.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

100.000 Visualizações!


É com grande alegria que comunico que hoje, dia 18 de Julho de 2012, atingimos a marca de 100.000 visualizações.

Tudo começou com um "Oi...", no dia 04 de Dezembro de 2009. Ao longo desses, aproximadamente, dois anos e meio de existência, muito já foi discutido por aqui. Já tratei de diversos temas e escrevi sobre diversos assuntos, abordando métodos de desenvolvimento literário variados.

Vale dizer que a ideia desse Blog surgiu uma vez que eu desejava aprimorar minha escrita, para enfim realizar um sonho de criança, publicar um livro. Tenho visto que fiz progresso e que este veio seguido de pessoas que gostaram da minha maneira de escrever. Para tanto vale dizer aqui que o livro está a caminho e brevemente darei notícias boas para todos.

O Blog ganhou uma cara nova. Desejo que todos gostem, uma vez que tentei torná-lo mais simples, sem perder a sua identidade.

O meu muito obrigado a todos que por aqui passaram e retornaram ao longo dos últimos meses. Não seria capaz de atingir tal marca se não fosse pelo carinho e atenção de todos vocês, leitores.

MUITO OBRIGADO! E vamos agora rumo às 200.000 visualizações.

Abração,

Flávio Nunes.

terça-feira, 17 de julho de 2012

Vontade de Nada + Superação!

Hoje acordei com vontade de nada. Que coisa estranha esta, mas é a mais pura verdade. Dormi aproximadamente dez horas e acordei com vontade de não sair da cama. Senti-me cansado desde que abri os olhos e agora luto para ter forças para enfrentar tudo que vem pela frente. A jornada será longa e extenuante.

Impus-me um ritmo forte de trabalho e de atividades. Preciso, mais uma vez, desacelerar e priorizar o que me é mais caro, ou seja, minha família (Esposa e filho) e minha saúde. Ainda não aprendi que não posso dar passos maiores que minhas pernas e que meu corpo não tem uma energia inesgotável. Minha finitude não me deixa ir além do que comporta os limites impostos a mim pela natureza. Não é uma questão de fraqueza, mas de auto-conhecimento e de amor.

Com o coração constrito tenho que abrir mão de coisa que me trazem alegria, mas que no momento estão sendo demais. Tudo que faço e tudo que desenvolvo, comporta fragmentos meus. Estes pedaços de mim, em conjunto, forma o que chamo de caminhos que leva à felicidade e é claro, são os meios pelos quais atingirei meus objetivos e realizarei meus sonhos. Por isso, abrir mão de um desses meios, é abrir mão de algo que faz parte de todo o contexto pelo qual o universo ao meu redor está sendo criado e aprimorado à cada dia.

Infelizmente tenho que cortar algumas cordas e aparar algumas arestas se quero reabastecer minhas energias. Entretanto não basta simplesmente cortar algo, é preciso saber como e onde fazer isso. A poda, afinal de contas, serve para dar mais força à arvore que se desenvolve. Uma poda mal feita, mata a arvore e tudo até então torna-se perdido.

É o momento de encontrar novos caminhos e potencializar aquilo que melhor há em mim, para com isso obter melhores respostas. Se estou fazendo o certo ou o errado, ainda é prematuro demais para se descobrir, todavia desejo permanecer no caminho, rumo à meta.

domingo, 15 de julho de 2012

Influências!

Geralmente não nos damos conta do quando influenciamos e do quando somos influenciados por tudo o que ocorre à nossa volta. Também as pessoas que em nossas vidas passam, conhecidas ou desconhecidas, já dizia o poeta, deixam um pouco de si e levam um pouco de nós.

Com o tempo, com um pouco de sensibilidade, percebemos que nossa vida é uma grande mosaico. Somos uma mescla de sentimentos, desejos e sonhos; realizados e por realizar, num constante ir e vir, ininterrupto. Eramos e não somos mais; somos, mas podemos vir a ser. Assim, sucintamente, se resume o ser humano.

Houve época que o ponto alto era o brinquedo do momento, depois passou a ser a menina ou o menino mais bonita da escola, em seguida a profissão a escolher era o que nos movia, depois foram as notas curriculares, em seguida foi a vez da família a ser formada, depois a estabilidade profissional, a boa saúde e por fim a tranquilidade na velhice. É claro que há inúmeras nuances entre uma vírgula e outra, entretanto para cada ênfase, algo foi tirado ou acrescentado.

Ver que um indivíduo ou um grupo repete seus passos, faz bem para o ego. Perceber que há mais dos nossos pais em nós do que pensávamos, pode ser fantástico ou angustiante. Se almeja posição e status, veste-se finamente, se desejas doar-se aos pobres, veste-se com o essencial. Se almeja a riqueza à qualquer custo, não mede esforços para chegar ao topo, se desejas exercitar o dom da pobreza, divide o que tem e doa o excesso aos que nada possuem. Nisso tudo a construção do ser é feita.

Vocação é muito mais que escolha de caminho e meta, é, se assim posso dizer, o somatório e acumulação dos sonhos e desejos que materializaram-se e criaram um meio de vida compatível com o que se é, enquanto essência. Não nascemos bons ou maus, tendemos para um ou outro canto e de acordo com os acontecimentos e influências, nos tornamos o que somos.

Não há, nem no mais remoto canto do planeta, alguém que seja auto-suficiente. Nosso cérebro não nos permite isso. Enquanto há vida, há aprendizado e há transcendência. Bem-aventurado o individuo que soma-se, multiplica-se, dividi-se e diminui-se em proporcional medida. No quesito vida, saber que está vivo e descobrir para que veio, é o melhor que lhe pode ocorrer.



Foto: http://livebuzz.com.br/2011/07/mensuracao-de-influencia-nas-midias-sociais-e-tema-de-entrevista-com-paulo-milreu/

Deixe-se...

Não há maior felicidade neste mundo do que doar e receber amor. No ato de amar, está contido tudo quanto sentimos, sonhamos, desejamos e realizamos. Não há um só homem, ou mulher, neste mundo que não tenha amado ao menos uma vez na vida.

O amor não é apenas doação é também saber receber. Mesmo que lhe falte bens materiais, se recebes aquilo de que precisa, na quantidade que precisa, estará amando profundamente aquele que lhe doa o que pedes.

Há no mundo, no entanto, aqueles indivíduos que agem de má-fé. Podem inclusive acumular muitos bens, podem acumular conhecimento, todavia, apesar de lenhoso(a), é seco por dentro. Há mais vida num simples caule que sustenta duas pequeninas folhas, do que em seus metros de altura e profundidade.

Para todos os que conhecem o antagonismo natural do ser, dizer que para se amar melhor é preciso conhecer o ódio e a ira fará todo o sentido. Para se amar e agir profundamente no amor, é preciso conhecer, sem precisar agir, o seu oposto. A moeda só tem valor e importância se for constituída de suas duas faces. Assim também somos nós. Só somos completos, uma vez que possuirmos todos os nossos antagonismos em constante nivelamento dentro de nós.

Depois de tanto exercitar e travar estas lutas interiores e às vezes fora de nós, passa-se a agir de acordo com aquilo que lhe é mais caro e útil, no quesito sobrevivência. É neste ponto que uma alma pode se perder ou se salvar. Vale lembrar que a salvação ou a perdição são conceitos individuais, apesar se manifestarem-se também na coletividade. É assim que criamos santos e monstros dentro de nós. Uns dão vida, a potencializam, e outros levam a morte aos quatro cantos, uma vez que desejam ver no mundo o que já o são interiormente.

Que lástima ter que sofrer para só assim entender o que é a verdadeira felicidade. Ter que se angustiar, para só assim entender o que significa paz interior. Quanto ao amor, não é preciso odiar e muito menos cometer qualquer ato injusto e inumano, basta apenas negligenciá-lo e por um segundo que seja experimentará o peso do mundo nas costas. Por isso ame e deixe ser amado. Só assim teremos condições de ver alguma mudança boa ocorrer ao nosso redor.


Foto: http://avidafeitadepalavras.blogspot.com.br/2011/09/se-o-dia-parece-triste-vou-aceita-lo.html

Manhã Nublada!

Hoje o dia amanheceu nublado por aqui. O friozinho que invade o quarto faz dar preguiça de jogar o edredom de lado. Pular da cama de imediato jamais foi o meu forte, ainda mais nestas circunstâncias. A lei dos "mais cinco minutos" impera soberana em minha vida. O único problema é que os cinco minutos complementares, muitas vezes, tornam-se dez, vinte, trinta minutos.

Meu filho esta noite não quis dormir cedo. Às duas da manhã, ele se acalmou, mas ainda assim não dormiu de imediato. Como pai participativo, lá estava eu com ele no colo para niná-lo e ver se conseguia fazê-lo se acalmar, enquanto minha esposa dormia e descansava até o próximo momento de amamentá-lo.

Manhã cinza, fria e esboçando um chuviscos. Acordei, afaguei minha esposa que descansava, acariciei a face do meu filho que agora dormia, limpei a área onde dormia a Mel (Minha cadelinha de estimação), preparei-me para ir trabalhar, coloquei o lixo para fora e não tomei café da manhã.

Com muito pesar, saí pela porta e rumei ao trabalho. Sem muito interesse, mas necessariamente, rumei ao trabalho. Todo meu corpo me pedia para ficar, tendo minha mente e meu coração como comparsas deste momento não mais renovável. A necessidade sobrepõe-se à vontade. Não por preguiça, mas por vontade de estar junto é que desejo permanecer lá e não aqui. Mas que fazer se só poderei lá estar em paz, uma vez que cá estiver, exercitando minha função com competência e esmero, rezando a Deus para que faça valer a pena toda a distância e a angústia da separação.

Por amor, aqui permaneço até que o tempo seja cumprido e distância física não mais exista. Tenho certeza que, no futuro, tamanho esforço será recompensado. Neste dia o frio da manhã nublada será apenas um motivo para nos unirmos mais.


Foto: http://thingsaboutbabyyouandi.blogspot.com.br/2011/05/nublada-s-odeio-sabados-assim-sonhei.html

Menos de 500 visualizações!

Olá Pessoal,

Faltam menos de 500 visualizações para o Blog chegar à marca histórica de 100.000 visualizações.

Pensei em bolar algo especial para esta conquista, mas ainda não sei o que fazer. Se não tiver nada concreto, com certeza sairá um texto comemorativo!

Desde já, obrigado a todos que em tão pouco tempo vem curtindo e retornando ao Blog para prestigiar os textos aqui postados.

Abração,

Flávio Nunes.


quarta-feira, 11 de julho de 2012

Recordações!

A alguns dias estou investindo pesado no desenvolvimento do meu projeto literário. Estou utilizando todo meu tempo, outrora ocioso, para gerar e desenvolver um sonho antigo.Várias foram as tentativas, mas até então falhas e sem muito chão. Sempre esbarrava num "não sei o que" de falta de conteúdo e tudo se estagnava. Dessa vez está sendo diferente.


Para chegar ao ponto que desejo estou estudando alguns temas universais e vasculhando meus arquivos pessoais. Inúmeras são as recordações que estão brotando. Cada novo fato que se descortina e ganha nova luz, traz mais uma vez sentimentos vividos e a muito esquecidos. Numa mescla de paz, felicidade, angústia, lágrimas, sorrisos e muito amor, as linhas estão sendo escritas.

Desejo, do fundo do coração, que minhas letras agradem jovens e adultos de diversas idades, sexo e raças distintas. Estou escrevendo para todos e não apenas para alguns poucos. Escrevo, e isso é um fato relevante, também para mim. Já estou a algum tempo neste caminho e sinto que à cada dia mais próximo estou do alvo.

Por hora, isso é tudo que posso falar sobre meus passos. Daqui a algum tempo, certamente terei novidades para contar. Que sejam boas e que todos se alegrem comigo.



Foto: http://umaraparigaesquecidadomundo.blogspot.com.br/2010_04_01_archive.html

domingo, 1 de julho de 2012

Escrever, Motivar e outras coisas!

Hoje acordei com vontade de escrever. Não sei ao certo sobre o que, mas apenas deu vontade de deixar meus dedos correrem sobre o teclado e redigirem um texto do qual não tenho a mínima noção do que se trata. Ao menos o breu que ofuscava meus olhos e a rigidez que faziam doer minhas juntas se afastaram por alguns instantes, dando-me paz e conforto suficiente para trazer ao mundo aquilo que dentro de mim se encontra.

Que grande dom é este dado por Deus ao artista, de trazer à realidade algo que até pouco tempo não existia. Há diversas formas de tornar realidade aquilo que outrora só eram um emaranhado de impulsos nervosos e puro material etéreo. Para Platão, tudo do que precisamos existe no "Mundo das Idéias" e é de lá que este aqui, em que nós vivemos, pode tornar-se vivo e palpável.

Por falar em Platão, a poucos dias uma jovem me interpela sobre assuntos filosóficos e entre outras coisas, pergunta-me sobre qual o significado do "Mito da Caverna". Disse a ela: "Esta alegoria de Platão encontrada no livro 'A República', é umas das melhores explicações para o comodismo, sedentarismo,  preguiça,... e seus antagônicos. Posso lhe dar duas explicações sobre o mito da caverna...". E assim seguiu minha explicação por alguns minutos. Nem mesmo eu sabia que isso já estava arraigado em mim. Foi um momento de grande alegria, enquanto Médico Veterinário, tido como "inculto" por um produtor de cinema, poder dividir meus conhecimentos com outrem sobre questões filosóficas.

Apesar de trabalhar com clínico, tenho profundo desejo, se Deus me permitir, de um dia conseguir lecionar. Assim como meu amor pela literatura, desejo conseguir galgar também esta meta e, com orgulho, entrar numa sala de aula e passar meus conhecimentos a jovens mentes sedentas de conhecimento; muitas vezes rebeldes e desorientadas, mas sedentas por algo que as motive e as façam sair do padrão pré-estabelecido. Tenho visto que a rebeldia e qualquer movimento "contra-corrente" só ocorre por insatisfação. Se for possível quebrar o que causa fadiga, será possível gerar novos conhecimentos e maneiras de lidar com a realidade.


Foto: http://www.evangelismoemslides.com.br/?p=615

Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...