domingo, 29 de julho de 2012

Necessidade de Ilusão...

NOTA INTRODUTÓRIA: Quando a inspiração bate, nada melhor do que deixar o texto fluir livremente.....



Hoje senti necessidade de ilusão em minha vida. Estou cheio das realidades que não me trazem proveito algum. Até me provarem que a realidade é melhor do que o sonhar, prefiro viver num mundo de sonhos, fantasias e ilusões. Ao menos não me engano e não me deixo enganar por situações que fogem ao meu controle. Sei que o vilão baterá, o herói cairá, levantará e na beira da morte transcenderá seus limites e vencerá a batalha. 

Viver no mundo dos sonhos e das ilusões, pode ser bem produtivo, uma vez que em toda boa história o mocinho sempre vence e o vilão sempre morre. Há as histórias que possuem seus anti-heróis, mas mesmo sendo malvados, praticam o bem, pois "já que vão para o inferno" pelo menos tentam salvar suas almas e as almas de outros, para que não tenham o mesmo fim. No mundo real, vejo que os vilões estão vencendo e os mocinhos estão morrendo ou perdendo as batalhas, dia após dia. 

Percebi que meus limites me impedem de ver certas grandezas. Acho que a luta de quem tem muito é menos válida do que a luta dos que pouco ou nada têm. Posso estar enganado, sendo pré-conceituoso e desenvolvendo um senso de inferioridade, diante de um mundo em que os maus progridem e os bons padecem; entretanto, não posso deixar de notar que algo está estranhamente fora dos eixos.

Exilo-me dentro de mim e através da análise do meu eu interior, que deseja ver um mundo melhor, saio de mim. Por amor à minha família busco superar meus limites e ir além do que os olhos alcançam. Mas ainda não é o bastante, nunca será o bastante. Preciso ser mais forte, preciso ir além, preciso enfrentar meus inimigos interiores e encontrar meios de me livrar das amarras exteriores. Estou à beira do abismo, estou preso por um ínfimo fio, meu escudo caiu, minha espada se perdeu em meio aos corpos no campo de batalha, minha armadura está rasgada, estou vulnerável. A espada do inimigo, bem afiada, ralha minha pele, bem próximo à jugular, um movimento em falso, um erro de cálculo e a sangria é certa. Peço clemencia ao meu oponente, peço ajuda a Deus e junto forças para sair dessa situação com o mínimo de cicatrizes.

Escondo-me atrás de uma face rubra e de roupas, segundo meu conceito, sóbrias e elegantes. Escondo-me atrás das palavras, dos versos e rimas. Escondo-me dentro dos desejos, sonhos e ilusões. Escondo-me no meu mundo e esqueço que a luta que empreendi acontece na realidade, na casa do inimigo, do lado de fora. "Dai-me forças Senhor, não me faças perder a fé em ti. Não deixe a esperança se afastar do meu peito. Apazigue os corações dos meus familiares e lhes traga conforto e temperança diante de todo o caos", assim rezo todos os dias. 

Não me estenderei mais, uma vez que não quero levar agora o título de melancólico ou trágico. Só não queria guardar para mim a angústia de viver uma realidade estranha aos meus sentidos. Quis diluir-me em palavras para ser absorto, à cada modo, pelas almas afins. 

6 comentários:

karla disse...

Amigo, cá estou eu de novo a comentar sua publicação, pra lá de humana e normal..o que vc sente é o que maioria também sente, só que talvez não saibam expor como vc fez e faz tão bem. AS DORES HUMANAS são enormes e parecem crescer a cada dia ..me entristeço muito com o mundo e creio que o que acontce comigo e com voce, é que paramos e pensamos muito em tudo..e os que assim procedem, enxergam mais e naturalmente sofrem mais..Mas ainda assim, prefiro ser como nós somos..A humanidade tem de parar , e refletir sobre o que está acontecendo, e só assim poderia ou poderá haver uma mudança...entendo e como entendo você
abç
Da amiga tuiteira Karla @kfprofa

Cristina ferber vieira lessa disse...

Oi, Flávio! Suas palavras me fizeram lembrar do dia 19 de julho, dia em que não consegui passar a folhinha do calendário de tanto que a mensagem me tocou. Ainda estou com a folhinha nesse dia. Repassando:“Transformai-vos, renovando vossa maneira de pensar e julgar, para que possais distinguir o que é da vontade de Deus, a saber, o que é bom, o que lhe agrada, o que é perfeito.” (Rm 12,2) Um abraço, Cristina.

Flávio Nunes. disse...

Olá Karla,
Obrigado mais uma vez pela sua visita e comentário!
Antes de tudo porém, gostaria de compartilhar uma frase que li hoje e que trouxe mais um pouco de esperança a este coração em sofreguidão passageira: "Toda vez que falta luz o invisível nos salta aos olhos". Não sei qual é o autor, mas é algo para se pensar.
O ser humano tem a capacidade de aprender não só com os próprios erros, mas também com os erros alheios. Uma vez que estamos imersos na roda da vida, é preciso ter destreza para não deixar-se ludibriar pelas intempéries do caminho.
É uma arte viver. Tenho me esforçado para ser um bom artista da vida e também um ótimo professor, cuja didática, passada através de meus atos e ações, possam levar outras pessoas a não cometerem os mesmos erros que eu.
Uma luz surgiu no fim do túnel. Agora é ter calma e paciência, para lá chegar e aproveitar os louros da vitória!
Abração minha amiga e volta sempre..rs..
Flávio Nunes.

Flávio Nunes. disse...

Olá Cristina,
Adorei a sua frase - “Transformai-vos, renovando vossa maneira de pensar e julgar, para que possais distinguir o que é da vontade de Deus, a saber, o que é bom, o que lhe agrada, o que é perfeito” (Rm 12,2).
Tal qual este versículo, se meu texto lhe fez refletir, já atingiu o objetivo tão esperado por mim.
Obrigado pelo carinho de sempre e pelas visitas! As portas estão sempre abertas...
Abração,
Flávio Nunes.

Marcela disse...

Garoto! Como vc escreve bem... Belíssimo texto! Parabéns

Flávio Nunes. disse...

Olá Marcela,
Obrigado pela visita e pelo comentário. Nesse texto em particular eu procurei expor o que estava me trazendo tamanha angústia na época: Viver num mundo onde a realidade é uma grande ilusão.
Volte sempre que puder e quiser.
Abração,
Flávio Nunes.

Postar um comentário

Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...