segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Ainda jovem...

Hoje, não sei por qual motivo, recordei alguns momentos de minha vida de pura inocência. Talvez por minha própria natureza ou pela criação que tive, pelos amigos que em minha vida passaram ou ainda pelos momentos de felicidade sentidos, há no meu coração um menino que teima em permanecer vivo.

Esse menino, irrequieto é verdade, não se cansa de querer descobrir o mundo ao seu redor. De um forma, um pouco mais madura, mas ainda ingênua, teima em acreditar nas pessoas e achar que dentro de cada peito há um bom coração. O menino dentro de mim, é aquele que ainda sou quando olho no espelho. Tem horas que o reconheço imediatamente, outras vezes ele fica meio embaçado, encoberto pelo vulto da barba desgrenhada e da pele que começa a mostrar sinais do tempo, que não para nunca.

Me acho bobo ao falar das coisas que gosto e, na empolgação, quase sempre falo mais do que deveria. Só depois paro e penso: "Será que me acharam arrogante demais"? Na ânsia de compartilhar minhas alegrias, corro o risco do adulto que está no outro não compreender o menino que em mim se encontra.

Me alegro facilmente com atos de caridade e de generosidade. Tenho riso solto, assim como me envergonho e fico constrangido facilmente. Tem horas que acho que o mundo está de ponta cabeça e que há muita futilidade por aí. Não entendo porquê tanta gente briga por tão pouca coisa, quando no fim, um dinheiro a mais no bolso, vem banhado com o fel dos momentos de ira e discórdias. Não vejo nexo algum nisso. Quando morrermos, nossos ossos não contarão mais histórias, mas o que fizermos estará para sempre na lembrança daqueles que enaltecemos ou menosprezamos.

Quiça eu possa deixar escrito algumas de minhas memórias, ou ainda, quem sabe posso registrar minhas reflexões e devaneios para todo o sempre. Por mais que tente, sempre acharei que uma só vida é pouco demais para contemplar tudo quanto somos capazes de realizar. Se me deixarem, o menino que sou nunca será abafado pelo homem que pareço. Mas não confundam, estado de espírito com atitudes tolas e imaturas. Se me der a honra, abro meu coração e verás que talvez era só isso que faltava para descobrir-se ainda um bebê necessitando de acalento e afago.


Foto: http://topediatrica.blogspot.com.br/2011/05/deixe-seu-filho-ser-o-chefe-da.html

6 comentários:

karla disse...

Continue deixando que a criança que vive em voce flua, e enriqueça sua vida . De sonhos, infantilidades e loucuras nossa vida também é feita. Se a criança que vive em nós tivesse mais oportunidade no palco de nossa vida, o mundo seria diferente.
Parabéns

Sonia Salim disse...

Tenha sempre esse menino vivo no coração, pois ele é um sucesso!

Parabéns, Flávio!

Abrços!

Sonia Salim

Daniella Caruso Gandra disse...

Olá, Flávio, muito leve seu blog, eu gostei, e suas recordações são muito bonitas. Abraço e ótimo fim de semana.

Flávio Nunes. disse...

Olá Karla,
Obrigado pelo seu comentário. Adorei as suas palavras. Saiba que, no que depender de mim, a criança que em mim vive, nunca morrerá.
Penso que talvez seja este o motivo de tantas desventuras na vida de muitos, perceber que o mundo está cheio de adultos uni-focados e ranzinzas.
Abração,
Flávio Nunes.

Flávio Nunes. disse...

Olá Sonia,
Tentarei com todas as minhas forças fazer fazer esse menino que sou, ficar vivo em meu coração. Obrigado pelo comentário.
Abração,
Flávio Nunes.

Flávio Nunes. disse...

Olá Daniella,
Antes de tudo, gostaria de agradecer a sua visita e o seu comentário.
Fico muito feliz que tenha gostado do meu Blog e dos textos que leu.
As portas estão abertas para que volte sempre e quando quiser.
Abração,
Flávio Nunes.

Postar um comentário

Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...